Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação dos inflamassomas e microRNAs relacionados à inflamação na síndrome de Sézary

Processo: 20/02190-5
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de julho de 2020 - 30 de junho de 2022
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Imunologia - Imunologia Celular
Pesquisador responsável:José Antonio Sanches Junior
Beneficiário:José Antonio Sanches Junior
Instituição-sede: Faculdade de Medicina (FM). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Pesq. associados:Maria Notomi Sato
Assunto(s):Micoses  Síndrome de Sézary  Inflamassomos 

Resumo

O Linfoma cutâneos de células T (LCCT), do tipo não-Hodgkin, tem uma forma mais agressiva a síndrome de Sézary (SS). A célula maligna é o linfócito TCD4+ presente na circulação periférica, pele, linfonodos e, em alguns casos, vísceras. Há uma importante disfunção imunológica dos pacientes com SS, o que contribui para morbidade e mortalidade da doença. A pele dos pacientes com SS, geralmente, é eritrodermica, favorecendo às infecções bacterianas cutâneas, o que representa um padrão especifico da SS. A inflamação crônica pode contribuir para diversos tipos de câncer, deste modo, é importante averiguar a resposta imune inata sobretudo os inflamassomas. No ambiente nodal, escassos estudo abordam a questão da imunidade inata na SS com ênfase nos componentes do inflamassoma, sobretudo o perfil dos microRNAs (miRs) envolvidos na resposta inflamatória. Desta forma, o objetivo do trabalho é analisar os inflamassomas NLRP1, NRLP3, AIM2, e citocinas IL-1² e IL-18 na pele e em linfonodos na SS. Além disto, avaliar o perfil de expressão de miRs em células de linfonodos: tumorais e não tumorais. Para tal, será analisada a expressão dos marcadores de inflamassomas na pele na SS, comparando com LCCT não eritrodérmica (micose fungóide) em estágio de patches e placas. O perfil de expressão de miRs relacionados na regulação da inflamação será avaliado por sequenciamento de miRs e a conexão com os RNAs será evidenciado por sequenciamento de RNA em linfonodos de pacientes SS. Serão selecionados os potenciais miRs e seus miméticos serão avaliaodos na regulação da resposta inflamatória e proliferativa em linhagem de células Sezary. A busca de miRs terapêuticos, capazes de regular a sinalização de inflamassomas, citocinas pró-inflamatórias, ou controle de resposta imune, serão potenciais miRs a serem aplicados como novas ferramentas terapêuticas na síndrome de Sézary. (AU)