Busca avançada
Ano de início
Entree

Vírus respiratórios avíarios em amostras de aves de subsistência e de criatórios

Processo: 19/13198-0
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de junho de 2020 - 31 de maio de 2022
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Medicina Veterinária - Medicina Veterinária Preventiva
Pesquisador responsável:Helena Lage Ferreira
Beneficiário:Helena Lage Ferreira
Instituição-sede: Faculdade de Zootecnia e Engenharia de Alimentos (FZEA). Universidade de São Paulo (USP). Pirassununga , SP, Brasil
Assunto(s):Aves  Influenza aviária  Virologia  Vírus 

Resumo

Os vírus respiratórios aviários são têm um importante impacto causado pelas perdas econômicas para a indústria avícola em todo o mundo, devido à queda de produção, bem como aos custos adicionais para o diagnósticos, as vacinas e as antibióticos para prevenir e tratar infecções secundárias. Três vírus aviários (vírus da influenza aviária-AIV, vírus da doença de Newcastle - NDV-, e vírus da laringotraqueíte infecciosa-ILTV) são os vírus aviários mais importantes e endêmicos em lotes de aves comerciais em vários países e podem eventualmente causar surtos em países livres destas doenças. Os lotes de aves brasileiras comerciais estão livres de AIV, NDV; no entanto, ILTV é endêmica em três áreas e alguns relatos sugerem que este vírus está se espalhando para outras regiões. O presente estudo tem como objetivo aumentar o conhecimento epidemiológico sobre os vírus respiratórios aviários em amostras de aves de cativeiro e de subsistência. Para tanto, amostras de tecidos arquivadas de aves com lesões sugestivas de doenças respiratórias serão obtidas em colaboração com laboratórios de diferentes estados brasileiros. Além destas amostras, tecidos ou amostras de suabes (orofaringeanos e cloacais) arquivados também serão testados. Os vírus serão isolados em cultivos celular a partir de amostras de tecidos ou suabes.O RNA e DNA virais serão purificados e reações de RT-PCR e PCR em tempo real específicos para os patógenos serão realizadas. As bibliotecas de DNA das amostras positivas serão preparadas a partir da transcrição reversa dos RNAs ou de DNAs. As amostras serão sequenciadas com o sequenciador de terceira geração e as sequências serão analisadas com ferramentas de bioinformática. Os genomas serão analisados e comparados com as sequências disponíveis no banco de dados público. A vigilância epidemiológica destes agentes em amostras de aves de cativeiro e subsistência permitirá a identificação de possíveis agentes virais que podem ameaçar os planteís avícolas brasileiros. Finalmente, os resultados obtidos aumentarão o conhecimento sobre a circulação destes agentes e permitirão o desenvolvimento de ferramentas para evitar a entrada dos vírus em criações avícolas comerciais. (AU)