Busca avançada
Ano de início
Entree

Imunoterapia com células híbridas dendríticas-tumorais em cães portadores de neoplasia sólida: ênfase na avaliação do imunograma e da biópsia líquida

Resumo

Este projeto pretende verificar o desfecho clínico de uma imunoterapia experimental associada aos tratamentos convencionais empregados em oncologia veterinária e avaliar a influência do contexto imunológico representado por um "imunograma" como fator preditivo na resposta clínica de cães com neoplasia sólida. Será baseado em um estudo clínico prospectivo de segurança e comparativo com tempo de sobrevida entre os grupos e aqueles descritos na literatura para as neoplasias incluídas neste estudo. Os pacientes serão alocados conforme a presença ou ausência de metástase e a associação às terapias convencionais, a saber: 1- cirurgia + vacina de híbridos de células dendríticas + eletroquimioterapia (sem metástase= VDCEqM-) (n=10); 2- cirurgia + eletroquimioterapia + vacina de híbridos de células dendríticas (com metástase= VDCEqM+) (n=10); 3- cirurgia + eletroquimioterapia + vacina de lisado tumoral (sem metástase= VLiEqM-) (n=10) e, 4- cirurgia + eletroquimioterapia + vacina de de lisado tumoral (com metástase= VLiEqM+) (n=10). Para avaliar a toxicidade serão realizados exames físicos para avaliação do local da aplicação e, para uma avaliação sistêmica serão realizados exames laboratoriais (hemograma, perfil renal e hepático). Para avaliar a resposta clínica os pacientes serão acompanhados por meio de exames físicos, de imagem e por meio do rastreamento de células tumorais circulantes utilizando a técnica de biópsia líquida baseada nas propriedades físicas das células por meio da comparação da quantificação de células tumorais circulantes antes e durante o tratamento. A avaliação da resposta imune antitumoral será realizada por um "imunograma" com base em uma análise multivariada de biomarcadores sanguíneos circulantes os quais serão correlacionados com o tempo livre de doença e sobrevida, a saber: 1- o perfil imunofenotípico obtido a partir da frequência de linfócitos T citotóxicos (CTL), de linfócitos T regulatórios (Treg) e células mielóides supressoras (MSDCs) sanguíneos; 2- o perfil inflamatório por meio da mensuração da relação de neutrófilos linfócitos (NRL - neutrophil-lymphocyte ratio), relação plaquetas linfócitos (PLR - platelet-lymphocyte ratio), relação monócitos linfócitos (MLR - monocyte-lymphcoyte ratio) e índice sistêmico inflamatório imune (SII - systemic immune-inflammation index) obtidos por hemograma; 3- níveis de citocinas séricas IFN-gama, IL-2, IL-12 e IL-10 e, 4- níveis séricos de lactato desidrogenase (LDH). Este projeto busca contribuir com novas perspectivas para o desenvolvimento de uma terapia antineoplásica ativa visando aumentar as chances terapêuticas para pacientes refratários às terapias convencionais e demonstrar que o benefício clínico foi alcançado devido à indução de uma resposta imune efetora. (AU)