Busca avançada
Ano de início
Entree

Expressão gênica de células estromais associada à resposta à quimioterapia neoadjuvante em câncer de mama localmente avançado.

Processo: 19/27671-9
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Publicações científicas - Artigo
Vigência: 01 de julho de 2020 - 31 de dezembro de 2020
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Pesquisador responsável:Maria Aparecida Azevedo Koike Folgueira
Beneficiário:Maria Aparecida Azevedo Koike Folgueira
Instituição-sede: Instituto do Câncer do Estado de São Paulo Octavio Frias de Oliveira (ICESP). Coordenadoria de Serviços de Saúde (CSS). Secretaria da Saúde (São Paulo - Estado). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Oncologia  Neoplasias mamárias  Expressão gênica 

Resumo

Em câncer de mama, o compartimento estromal pode influenciar a resposta à quimioterapia. Nosso objetivo foi detectar uma assinatura de células estromais (usando uma abordagem direta de microdissecção de células estromais) associada à resposta à quimioterapia neoadjuvante (neoQT) em câncer de mama localmente avançado (CMLA). Amostras de tumor foram coletadas de 44 pacientes com CMLA (29 com receptor de estrogênio (ER) positivo e 15 ER negativo) antes do início de qualquer tratamento. A quimioterapia neoadjuvante consistiu em doxorrubicina e ciclofosfamida, seguida por paclitaxel. A resposta foi definida como downstaging para o máximo ypT1a-b/ypN0. As células estromais, compostas principalmente por fibroblastos e células imunológicas, foram microdissecadas de amostras de tumores congelados frescos e o perfil de expressão gênica foi determinado usando-se microarranjos Agilent SurePrint G3 Human Gene Expression. Os níveis de expressão gênica foram comparados usando-se o software MeV (MultiExperiment Viewer), aplicando SAM (análise de significância de microarranjos). Para classificar as amostras de acordo com a resposta do tumor, foi utilizada a ordem das medianas com base nas declarações de confiança (MedOr) e para identificar conjuntos de genes correlacionados com o fenótipo de downstaging, análise de enriquecimento de conjuntos de genes (GSEA). Nove pacientes apresentaram downstaging da doença. Onze sequências (FDR 17) foram expressas diferencialmente, todas (exceto H2AFJ) mais expressas em tumores responsivos, incluindo PTCHD1 e genes envolvidos na fisiologia anormal das células T citotóxicas, TOX, LY75 e SH2D1A. Quatro pares de marcadores puderam classificar corretamente todas as amostras de tumor, de acordo com a resposta: PTCHD1/PDXDC2P, LOC100506731/NEURL4, SH2D1A/ENST00000478672 e TOX/H2AFJ. Os conjuntos de genes correlacionados com a resposta do tumor (FDR <0,01) estavam envolvidos principalmente em resposta imune ou em ativação de linfócitos, incluindo CD47, LCK, NCK1 , CD24, CD3E, ZAP70, FOXP3 e CD74, entre outros. Em câncer de mama localmente avançado, as células estromais podem apresentar características específicas da resposta imune, que podem estar associadas à resposta à quimioterapia. (AU)