Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação e derivação de fatores de emissão de gases do efeito estufa na produção de etanol de cana-de-açúcar nos estados de Alagoas e São Paulo, uma contribuição para o RENOVABIO

Resumo

Em 2017 o governo federal criou a Política Nacional de Biocombustíveis (LEI Nº 13.576), denominada RenovaBio. Para a sua implementação e monitoramento o RenovaBio precisará estabelecer (e atualizar periodicamente) metas compulsórias anuais de redução de emissões de GEE para a comercialização de combustíveis e os requisitos para regulação técnica e econômica do Crédito de Descarbonização. Neste contexto, a presente proposta tem como objetivo derivar fatores de emissão dos gases do efeito estufa para as principais fontes de emissão das atividades agrícolas relacionadas a produção de etanol de cana-de-açúcar nos estados de Alagoas (maior produtor no Norte/Nordeste) e São Paulo (maior produtor na região Centro-Sul), como forma de contribuir com a Política Nacional de Biocombustíveis - RenovaBio. Para atingir o objetivo proposto, este projeto será composto por três etapas, são elas: i) derivação dos fatores de emissão de N2O proveniente da aplicação de vinhaça e fatores para mudanças nos estoques de C do solo nos diferentes sistemas de colheita de cana-de-açúcar em Alagoas e São Paulo; ii) Geração e síntese de dados e atualização dos fatores de emissão (setor agrícola) de diferentes práticas de manejo adotadas na região Centro-Sul do país; iii) Análise de sensibilidade, incluindo a avaliação dos efeitos dos fatores de emissão específicos nas estimativas de emissão de GEE pelo RenovaBio. Os principais resultados esperados, do ponto de vista técnico-científico, são: i) Derivar fatores de emissão de N2O devido a aplicação de vinhaça para os estados de Alagoas e de São Paulo; ii) Derivar fatores de mudança de C do solo para o cultivo de cana-de-açúcar (nos diferentes sistemas de colheita) para Alagoas; iii) Atualizar os fatores de mudança de C do solo para o cultivo de cana-de-açúcar (nos diferentes sistemas de colheita) para a região Centro-Sul; iv) Derivar fatores de emissão de N2O e CO2 para as principais fontes de emissão de solos manejados para a região Centro-Sul; v) Avaliar o impacto dos fatores de emissão desenvolvidos nas estimativas de GEE pela RenovaCalc; vi) Capacitação da equipe do IFAL para realizar amostragem de fluxos de GEE em sistemas agropecuários, e para operar o GCMS; vii) Formação de recursos humanos, visto que alunos de iniciação científica e pós-graduação atuarão no projeto em Alagoas e São Paulo. No que se refere aos impactos na sociedade, a presente proposta entende que contribuirá com a melhoria da Política Nacional de Biocombustíveis, por meio da geração de informações que irão permitir o estabelecimento das metas de redução de emissão, e o monitoramento das emissões / concessão de créditos de descarbonização, de forma mais consistente e representativas das condições de clima, solo e manejo do Brasil. Isto deve conferir ao RenovaBio maior credibilidade, e ainda, contribuir com o incentivo ao uso do etanol em substituição aos combustíveis fosseis, fortalecendo a cadeia produtiva dos biocombustíveis, o que deve se traduzir no aumento de emprego e renda no setor, e obviamente, ajudar na mitigação do aquecimento global e mudanças climáticas. (AU)