Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação do Papel dos Transportadores de Poliaminas na Formação de Biofilme por Streptococcus pneumoniae e Klebsiella pneumoniae

Processo: 19/23566-6
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de setembro de 2020 - 31 de agosto de 2022
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Microbiologia - Biologia e Fisiologia dos Microorganismos
Pesquisador responsável:Thiago Rojas Converso
Beneficiário:Thiago Rojas Converso
Instituição-sede: Universidade São Francisco (USF). Campus Bragança Paulista. Bragança Paulista , SP, Brasil
Pesq. associados: Anders P Hakansson
Assunto(s):Klebsiella pneumoniae  Biofilmes  Streptococcus pneumoniae 

Resumo

Streptococcus pneumoniae e Klebsiella pneumoniae são patógenos humanos de grande importância mundial, pois juntos causam mais de 1 milhão de mortes anuais no mundo todo. São bactérias capazes de colonizar as mucosas de forma assintomática, podendo, em indivíduos susceptíveis, invadir sítios estéreis e causar pneumonia, meningite, abcessos hepáticos, infecção urinária, dentre outras doenças. São dois patógenos capazes de formar biofilme - uma situação que favorece a colonização e a dispersão bacterianas, além de possibilitar o surgimento de cepas multirresistentes a drogas, contribuindo para o aumento da virulência durante as infecções. A formação de biofilme está diretamente relacionada com a comunicação via quorum sensing e a produção de moléculas auto indutoras do tipo 2 (AI-2). Alguns estudos recentes relacionam a presença de poliaminas e seus transportadores com a formação de biofilme por alguns microrganismos; a diminuição de poliaminas intracelulares, bem como a deleção das proteínas responsáveis pelo seu transporte foram capazes de inibir a formação de biofilme em Escherichia coli, Yersinia pestis e Bacillus subtilis. Dessa forma, o presente trabalho visa investigar o papel das poliaminas e seus transportadores na formação de biofilme e comunicação via quorum sensing em S. pneumoniae e K. pneumoniae. Para tanto, cepas mutantes para os genes responsáveis pelo transporte das poliaminas serão obtidas utilizando a metodologia CRIPR/Cas9 - que será padronizada em nosso laboratório - e comparadas às bactérias selvagens, quanto à habilidade de se comunicar via quorum sensing e formar biofilme in vitro e in vivo, visando caracterizar os mecanismos que possibilitem a inibição da formação de biofilme por estes patógenos. (AU)