Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudo histomorfológico comparativo entre: alopecia cicatricial e não cicatricial

Processo: 20/07199-0
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de novembro de 2020 - 31 de outubro de 2021
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Anatomia Patológica e Patologia Clínica
Pesquisador responsável:Maria Letícia Cintra
Beneficiário:Maria Letícia Cintra
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Médicas (FCM). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Pesq. associados:Amanda Araújo dos Reis Botega
Assunto(s):Alopécia  Histopatologia  Anatomia patológica 

Resumo

Os cabelos exercem funções sensoriais, de termorregulação, de proteção física e estão fortemente relacionados à autoestima das pessoas. As alopecias constituem as afecções em que há diminuição ou ausência de pelos. Elas alteram a aparência física do indivíduo e causam frequentemente impacto psicológico negativo. As alopecias são classificadas sob diferentes abordagens. A classificação mais usada considera a presença ou não de destruição inflamatória dos folículos pilosos, portanto, alopecias cicatriciais e não cicatriciais. No dia-a-dia do patologista, comumente se recebem biópsias de couro cabeludo com hipóteses clínicas de condições cicatriciais versus não cicatriciais para o mesmo paciente. Como exemplo, citamos hipóteses diagnósticas de alopecia areata versus alopecia frontal fibrosante. Este fato demonstra que, do ponto de vista clínico e dermatoscópico, distinguir estes dois grandes grupos de alopecia não é um procedimento simples. Para agravar este problema, do ponto de vista histológico, muitas vezes também é difícil distinguir processos que cursam com destruição permanente dos folículos, daqueles em que os folículos, temporariamente, não são identificados na amostra tissular. As alopecias cicatriciais devem ser prontamente identificadas pois sua evolução culmina com a perda definitiva do folículo. O estudo da morfologia comparativa das alopecias pode ajudar a definir achados que facilitem a definição, nos casos dúbios. O objetivo deste trabalho é identificar elementos histológicos que permitam diferenciar alopecias cicatriciais das não cicatriciais. Serão avaliadas as informações clínicas, laboratoriais e curso clínico, de pacientes que foram atendidos com queixa de alopecia, e as respectivas amostras histopatológicas de couro cabeludo. Os resultados serão correlacionados entre si e com o diagnóstico nosológico definido. (AU)