Busca avançada
Ano de início
Entree

A poluição do ar é o motor do envelhecimento renal prematuro

Processo: 19/19433-0
Modalidade de apoio:Auxílio à Pesquisa - Temático
Vigência: 01 de julho de 2020 - 30 de junho de 2025
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Convênio/Acordo: Organização Holandesa para a Pesquisa Científica (NWO)
Pesquisador responsável:Lucia da Conceição Andrade
Beneficiário:Lucia da Conceição Andrade
Pesq. responsável no exterior: Alessandra Tammaro
Instituição no exterior: University of Amsterdam (UvA), Holanda
Pesq. responsável no exterior: Sandrine Florquin
Instituição no exterior: University of Amsterdam (UvA), Holanda
Instituição Sede: Faculdade de Medicina (FM). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Pesquisadores principais:
Paulo Hilário Nascimento Saldiva
Pesquisadores associados:Andréa Teixeira Ustra ; Camila Eleuterio Rodrigues ; Itamar de Souza Santos ; laura janka zires ; Maria de Fátima Andrade ; Mariana Matera Veras ; Talita Rojas Cunha Sanches
Auxílios(s) vinculado(s):23/00552-5 - O efeito da sobrevida do filtro da diálise contínua na taxa de infecção em pacientes criticamente enfermos: estudo multicêntrico prospectivo observacional, AP.R SPRINT
22/14274-4 - Cuidados verdes: fazendo o verde urbano para a saúde, AP.R SPRINT
Bolsa(s) vinculada(s):24/04050-7 - Papel da poluição do ar na evolução da doença renal crônica em habitantes da Cidade de São Paulo, Brasil, comparada a Cidade de Groningen, Holanda, BP.TT
24/03904-2 - Análises de histológia e imunohistoquímica em tecido de camundongo expostos a PM 2.5, BP.TT
22/11110-0 - A poluição do ar é o motor do envelhecimento renal prematuro, BP.PD
+ mais bolsas vinculadas 22/11975-1 - A poluição do ar é o motor do envelhecimento renal prematuro, BP.DD
21/06514-2 - Influência da poluição atmosférica na progressão da injúria renal aguda para doença renal crônica, BP.IC
19/26385-2 - Influência da poluição atmosférica na injúria renal aguda, BP.IC - menos bolsas vinculadas
Assunto(s):Nefrologia  Epigênese genética  Função renal  Insuficiência renal crônica  Inflamação  Poluição ambiental  Poluição do ar  Indicadores de morbimortalidade 
Palavra(s)-Chave do Pesquisador:doença renal crônica | Envelhecimento renal | epigenética | Inflamação | Pm 2 | Poluição ambiental em São Paulo | 5 | Nefrologia

Resumo

O envelhecimento renal prematuro é um fator de risco para eventos adversos cardiovasculares, desenvolvimento de doença renal crônica (DRC) e progressão para doença renal terminal (DRT). A DRT está associada à baixa qualidade de vida, alta morbimortalidade e enormes gastos com assistência médica. A incidência de DRT varia muito entre os países com 6% na Holanda, em comparação com 11% em São Paulo. Um dos fatores negligenciados, possivelmente subjacentes à heterogeneidade no envelhecimento renal, é a exposição a fatores ambientais. Recentemente, estudos epidemiológicos vincularam a exposição ao material particulado no ar (PM2.5) a um risco aumentado de DRC. Alterações epigenéticas, estresse oxidativo e inflamação crônica estão entre os mecanismos que mediam os efeitos adversos à saúde do PM2,5. A pesquisa sobre a interação entre exposição individual a PM2.5, respostas epigenéticas e envelhecimento renal prematuro é limitada. Nosso projeto preencherá a lacuna desse conhecimento. Nossa hipótese é que a exposição ao PM2.5 forma um acelerador do envelhecimento renal, aumentando o risco de DRC. Para desvendar as alterações moleculares e biológicas induzidas pela exposição ao PM2.5 no rim, usaremos um modelo experimental exclusivo: o Harvard Ambient Particle Concentrator, no qual os ratos serão expostos ao PM2.5 durante o processo de envelhecimento e após a indução de lesão renal. Usando essa configuração, identificaremos uma assinatura exclusiva do PM2.5, que inclui alterações epigenéticas, transcriptômicas e metabólicas, que serão avaliadas como um fator de risco para a saúde renal em coortes observacionais na Holanda e em São Paulo. Prevemos que essa assinatura preveja diferenças individuais no declínio da função renal e será importante adotar medidas preventivas para promover o envelhecimento saudável renal. Além disso, usando técnicas de ponta, objetivamos a caracterização química e elementar e a rastreabilidade dos componentes da PM2.5 no sangue, rim e urina, para descobrir quais elementos da PM2.5 são tóxicos para os rins. Palavras-chave: PM2.5, envelhecimento renal, epigenética, inflamação, doença renal crônica. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o auxílio:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
CASTRO, LETICIA URBANO CARDOSO; OTSUKI, DENISE AYA; SANCHES, TALITA ROJAS; SOUZA, FELIPE LIMA; SANTINHO, MIRELA APARECIDA RODRIGUES; DA SILVA, CLEONICE; NORONHA, IRENE DE LOURDES; DUARTE-NETO, AMARO NUNES; GOMES, SAMIRAH ABREU; MALBOUISSON, LUIZ-MARCELO SA; et al. Terlipressin combined with conservative fluid management attenuates hemorrhagic shock-induced acute kidney injury in rats. SCIENTIFIC REPORTS, v. 12, n. 1, p. 13-pg., . (19/19433-0)

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas utilizando este formulário.