Busca avançada
Ano de início
Entree

A importância do gene SCI1 no meristema floral, sua regulação transcricional e conservação evolutiva

Processo: 19/24774-1
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Temático
Vigência: 01 de outubro de 2020 - 30 de setembro de 2025
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Genética - Genética Molecular e de Microorganismos
Pesquisador responsável:Maria Helena de Souza Goldman
Beneficiário:Maria Helena de Souza Goldman
Instituição-sede: Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto (FFCLRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Pesquisadores principais:Adriana Pinheiro Martinelli
Pesq. associados:Ana Paula Ulian de Araujo ; Cristiane Paula Gomes Calixto ; Fabio Tebaldi Silveira Nogueira ; Lázaro Eustaquio Pereira Peres ; Luiz Eduardo Vieira Del Bem
Assunto(s):Genética molecular vegetal  Proliferação celular  Floração  Meristema  Processamento de RNA  Fatores de transcrição  Plantas geneticamente modificadas  Tomateiro 

Resumo

Recentemente, demonstramos que o gene SCI1 é expresso nas células do meristema floral, desde sua especificação e, principalmente, nas células proliferativas. Estes resultados foram obtidos por hibridização in situ e pela análise de plantas transgênicas SCI1prom::SCI1-GFP. Assim, este gene foi renomeado fSCI1 (floral Stem Cell-cycle Inhibitor 1). Também mostramos que o fator de transcrição AGAMOUS se liga ao promotor do gene SCI1, em experimentos de Y1H, enquanto análises de bioinformática sugerem ainda a ligação de WUSCHEL e AINTEGUMENTA-Like 6 (AIL6) na sequência genômica de SCI1. Estes resultados nos levaram a perguntar sobre a importância do gene SCI1 no meristema floral e sua regulação transcricional. Adicionalmente, precisamos aprofundar nosso estudo sobre como SCI1 atua a nível molecular, para regular a proliferação celular, e tentar compreender a origem e a evolução desta proteína. Portanto, os objetivos deste projeto são: 1) Verificar se o gene SCI1 é alvo dos fatores de transcrição AG, WUS e AIL6; 2) Identificar fatores de transcrição que se liguem à sequência genômica de SCI1; 3) Testar a hipótese de SCI1 e/ou sua parceira de interação, NtDDX35, uma RNA helicase do tipo DEAD-box, se ligarem diretamente à RNA; 4) Identificar proteínas parceiras de interação de NtDDX35; 5) Produzir e analisar plantas transgênicas de superexpressão e silenciamento de NtDDX35, incluindo plantas nocauteadas por CRISPR; 6) Produzir plantas de tomateiro com o gene SCI1 silenciado por RNAi e nocauteado por CRISPR, e analisar o desenvolvimento do meristema floral nestas plantas; 7) Estudar a evolução do gene SCI1; e 8) Analisar se o putativo homólogo de SCI1, em Aspergillus nidulans, afeta a proliferação celular neste fungo. (AU)