Busca avançada
Ano de início
Entree

ToxBioColour: toxicologia de corantes naturais para um ambiente sustentável

Processo: 20/04628-8
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de novembro de 2020 - 31 de outubro de 2022
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Genética - Mutagênese
Pesquisador responsável:Gisela de Aragão Umbuzeiro
Beneficiário:Gisela de Aragão Umbuzeiro
Instituição-sede: Faculdade de Tecnologia (FT). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Limeira , SP, Brasil
Pesq. associados: Riikka Raisanen
Assunto(s):Corantes sintéticos  Genotoxicidade  Recursos renováveis 

Resumo

Corantes sintéticos e pigmentos são amplamente utilizados na indústria têxtil, e os riscos potenciais de corantes, como corantes azóicos, para a saúde humana e o meio ambiente já são reconhecidos. Certos compostos naturais têm uma longa história como corantes, mas após a transição do século 20 para corantes sintéticos, seu uso na coloração têxtil foi mínimo. Existe uma tendência no mundo de produzir materiais sustentáveis, mas a possibilidade de usar corantes naturais não foi explorada adequadamente. Esse fato motivou o projeto BioColour a projetar e desenvolver novos produtos sustentáveis com a ajuda de corantes naturais ambientalmente seguros. O BioColour (corantes e pigmentos de base biológica para paleta de cores, https://biocolour.fi/), é um consórcio recentemente aprovado pela Academia da Finlândia (https://www.aka.fi/en). O Laboratório de Ecotoxicologia e Genotoxicidade (LAEG) da UNICAMP participa da etapa WP3 (Work Package 3 - Avaliação de segurança toxicológica de biocolorantes) do projeto BioColour, realizando testes de toxicidade aguda com Daphnia e ensaios de mutagenicidade in vitro de corantes naturais.O objetivo do projeto proposto do ToxBioColour é fornecer uma caracterização toxicológica detalhada dos corantes naturais mais promissores selecionados pelo consórcio BioColour e de efluentes gerados em processos de tingimento simulado. Esses estudos usarão diferentes modelos aquáticos (algas e peixes) para verificar a toxicidade aguda e crônica, incluindo avaliações de genotoxicidade in vivo (ensaio cometa em peixes). Esperamos que o resultado seja uma família de corantes naturais ecológicos para as tecnologias de tingimento tradicionais e tecnologias que não utilizam água no processo de tingimento. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o auxílio:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (1 total):
UNICAMP - Universidade Estadual de Campinas: Professora Gisela Umbuzeiro é destacada como uma das pioneiras na área da toxicologia no Brasil (25/Mai/2021)