Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudo da regulação das vias de sinalização da adipogênese e marmorização da carne de bovinos mestiços Bos taurus - Bos indicus suplementados com vitamina A

Resumo

O baixo teor de gordura intramuscular (IMF) na carne bovina produzida no Brasil contribui de forma significativa para o menor valor agregado no mercado consumidor. Estratégicas têm sido propostas para se aumentar a deposição de IMF, visando melhorar a qualidade do produto final e atender a mercados mais exigentes. A suplementação com vitamina A logo após o nascimento é uma dessas estratégias que visam o aumento da IMF, pois parece favorecer o aumento do número de adipócitos (efeito hiperplásico). Entretanto, a administração de vitamina A em animais tem sido pouco investigada no nível molecular, especialmente na fase de pós-natal e de crescimento. Objetiva-se com esse estudo investigar as vias de sinalização da adipogênese e IMF da carne por meio do sequenciamento do transcriptoma de novilhos que receberam a aplicação de vitamina A durante a fase neonatal. Adicionalmente, as diferenças na expressão gênica e nos padrões de metilação do DNA muscular nas fases de crescimento (desmame) e adulta serão investigadas. Serão utilizados 20 bovinos mestiços F1 Nelore-Montana machos, desde o nascimento até a terminação, em delineamento em blocos casualizados (leves e pesados) com dois tratamentos (vitamina A vs. controle). Ao nascimento, os bezerros do tratamento com vitamina A receberão uma dose de 300.000 UI injetável. Serão conduzidas biópsias 30 dias após o nascimento e ao desmame para as análises de biologia molecular. Todos os animais serão imunocastrados por meio da aplicação de vacina anti-GnRF. Os animais serão desmamados com 210 dias, e posteriormente confinados por 150 dias em baias individuais recebendo dieta contendo 12,6% de volumoso e 87.4% de concentrado a base de milho. Amostras do músculo Longissimus thoracis (LT) serão coletadas entre as 12ª e 13ª costelas da meia-carcaça esquerda para a condução de análises de qualidade. Imediatamente ao abate, alíquotas do músculo LT serão colhidas da meia-carcaça direita desses animais, para análises de biologia molecular. Após a desossa, amostras do músculo LT serão analisadas quanto a maciez, perdas por cocção, luminosidade, Chroma e Hue e composição química (IMF, proteína, umidade e cinzas). No ensaio molecular será conduzido estudo de sequenciamento do transcriptoma (RNA-seq) do músculo LT, e os padrões de metilação do DNA muscular nas fases neonatal e adulta dos animais. A injeção de vitamina A logo após o nascimento, período este crítico de formação dos adipócitos, poderá aumentar a gordura intramuscular em animais terminados em confinamento. (AU)