Busca avançada
Ano de início
Entree

Aplicação de técnicas de genética molecular e de análise da expressão gênica ao estudo do distúrbio da diferenciação do sexo ovário-testicular

Resumo

O distúrbio da diferenciação do sexo ovário-testicular (DDS-OT) é uma condição rara caracterizada pela presença de parênquima ovariano e testicular no mesmo indivíduo, em gônadas separadas ou numa mesma gônada (ovotestis), com ambiguidade genital em graus variados e caracteres sexuais secundários masculinos e femininos. A maioria dos casos (cerca de 60%) são 46,XX, 10% 46,XY, e nos demais há anomalias cromossômicas (incluindo mosaicismo ou quimerismo). Em alguns casos com cariótipo normal (XX ou XY) foi identificada etiologia genética, mas a maioria é de origem indefinida. Dentre as hipóteses estão criptomosaicismo com linhagem contendo diferente complemento de cromossomos sexuais e mutações em genes participantes da diferenciação gonadal, como NR5A1. São também poucos os estudos da expressão de proteínas específicas do tecido gonadal nesses casos. O objetivo deste trabalho é ampliar o conhecimento sobre a etiologia do DDS-OT. Para isso, serão realizados estudos em amostras de tecido gonadal fixado em parafina de biópsias já realizadas em pacientes com cariótipo normal (46,XX ou 46,XY) ou com anomalias cromossômicas atendidos nas últimas três décadas. Esses estudos incluem: hibridação in situ fluorescente (FISH) com sondas específicas para os centrômeros de X e Y e para o SRY; extração de DNA para amplificação desse gene; extração de RNA para avaliar o transcriptoma por RNA-seq; e imunoistoquímica para SRY, FOXL2 e SOX9. Nos casos 46,XX serão pesquisadas mutações no gene NR5A1 por sequenciamento de Sanger em amostras de DNA de sangue periférico, O sequenciamento do genoma será realizado em duas famílias com recorrência de DDS 46,XX, nos casos em que não forem encontradas mutações no gene NRA51 e nos casos que não apresentem evidências de mosaicismo ou quimerismo. (AU)