Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação do impacto e monitoramento ecotoxicológico e químico de hidrocarbonetos de petróleo em áreas recifais e rios impactados pelo aporte de petróleo emulsificado no litoral Pernambucano

Processo: 20/03828-3
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de outubro de 2020 - 30 de setembro de 2022
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Ecologia - Ecologia Aplicada
Convênio/Acordo: CONFAP - Conselho Nacional das Fundações Estaduais de Amparo à Pesquisa
Pesquisador responsável:Ítalo Braga de Castro
Beneficiário:Ítalo Braga de Castro
Instituição-sede: Instituto do Mar (IMar). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus Baixada Santista. Santos , SP, Brasil
Pesq. associados: Beatrice Padovani Ferreira ; Denis Moledo de Souza Abessa ; Eliete Zanardi Lamardo ; Igor Dias Medeiros ; João Lucas Leão Feitosa ; Lilia Pereira de Souza Santos ; Márcia Caruso Bícego ; Marisa Narciso Fernandes ; Rodrigo Brasil Choueri
Assunto(s):Avaliação de impacto  Biomarcadores  Ecotoxicologia  Monitoramento ambiental  Peixes 

Resumo

A contaminação do litoral pernambucano por petróleo emulsificado foi caracterizada como um desastre ambiental de grande escala. Neste sentido, estamos propondo uma abordagem moderna envolvendo a avaliação de parâmetros químicos para caracterizar o grau de exposição aos hidrocarbonetos policíclicos aromáticos (HPAs), principais contaminantes de elevado potencial tóxico no petróleo. Essa abordagem permitirá quantificar o grau de impacto a que espécies residentes nestes ambientes aquáticos estão sofrendo. As avaliações químicas serão realizadas em conjunto com estudos ecotoxicológicos que permitirão uma caracterização precisa das alterações biológicas decorrentes da toxicidade gerada pelos resíduos. Neste estudo serão avaliados os processos de biodisponibilização e toxicidade dos (HPA) e hidrocarbonetos alifáticos (HAli) do petróleo sobre peixes e invertebrados bentônicos de ambientes recifais e rios. Serão aplicadas técnicas ecotoxicológicas focadas na quantificação da toxicidade letal e subletal causada a peixes e invertebrados bentônicos em 8 ambientes recifais e 2 rios impactados. Estas avaliações produzirão um diagnóstico de qualidade ambiental, comparando ambientes impactados e ambientes controle (ou menos impactados). Adicionalmente, será utilizada uma abordagem integradora, baseada em diagramas multidimensionais do tipo "radar", contendo eixos para: (1) concentração de HPA na coluna de água, concentração de HPA e HAli no sedimento, (2) concentração de HPA na bile de Stegastes fuscus, (3) biomarcadores moleculares de expressão gênica em Stegastes fuscus, (4) biomarcadores de genotoxicidade, biotransformação e defesa antioxidante em S. fuscus, (5) biomarcadores histológicos no peixe recifal Stegastes fuscus, (6) toxicidade do sedimento para invertebrados bentônicos, (7) toxicidade da água intersticial do sedimento e de água da coluna de água para o copépode Tisbe biminiensis e (8) abundância populacional do peixe Stegastes fuscus. As métricas em cada eixo serão relativizadas a um sítio controle, permitindo uma avaliação comparativa quantitativa e gráfica da qualidade ambiental entre os pontos avaliados. Este projeto contribuirá objetivamente para tomadas de decisão sobre o grau do impacto nos diferentes locais, para o monitoramento de estratégias de remediação, e para a formação de alunos de graduação e pós-graduação com capacidade para desenvolver estudos em ecotoxicologia aquática e química ambiental, permitindo que atuem na área acadêmica, privada, e dentro das agências ambientais. Entre as metas previstas, está a transferência de conhecimentos para órgãos de controle ambiental nas esferas federal (IBAMA/ICMBIO), e estadual (agência ambiental do estado de Pernambuco - CPRH). Nessa perspectiva a proposta visa proporcionar subsídios para uma gestão cientificamente orientada do problema, transferindo conhecimento e tecnologia para a sociedade. (AU)