Busca avançada
Ano de início
Entree

Desenvolvimento de Nanoformulação visando o manejo sustentável de fitopatógenos agrícolas

Resumo

Recentemente, esforços têm sido focados no desenvolvimento da Bioeconomia que reúne todos os setores da economia que utilizam recursos biológicos (seres vivos) de maneira racional e sustentável. Esse mercado destina-se a oferecer soluções coerentes, eficazes e concretas para os grandes desafios sociais, como as mudanças climáticas, substituição de recursos fósseis, segurança alimentar e saúde da população. Essa atividade econômica é dependente de pesquisa em biociências e visa transformar o conhecimento e novas tecnologias em inovação para indústria e sociedade. Neste contexto, a presente proposta visa apresentar soluções tecnológicas para o controle e manejo sustentável de importantes fitopatógenos para o estado de SP e para o DF, contribuindo assim para a Bioeconomia dessas regiões. Pretende-se desenvolver estratégias inovadoras utilizando a nanobiotecnologia para o controle de Xanthomonas citri subsp. citri, causadora do cancro cítrico, Candidatus liberibacter, responsável pelo Greening dos citros, além de Xanthomonas spp. causadoras da mancha bacteriana do tomateiro. Será realizada uma prospecção de fontes biológicas para o desenvolvimento dos nanossistemas. Aquelas que se mostrarem eficazes na formação dos nanomateriais serão avaliados quanto às suas propriedades bactericidas e/ou bacteriostáticas além do seu efeito nas plantas-alvo no controle dos fitopatógenos. Este efeito nas plantas também será avaliado utilizando técnicas de genômica e proteômica. A partir destas fontes biológicas e sustentáveis, pretende-se gerar nanoformulações para aplicação direta na planta visando a inibição de crescimento do fitopatógeno ou indução de resistência na planta. Além disso, espera-se desenvolver uma nanoformulação para o carreamento de ácidos nucléicos visando ao silenciamento de genes de suscetibilidade na planta e/ou virulência no patógeno, levando assim ao controle da doença. Nesta etapa do trabalho, oligonucleotídeos antissenso (livres e/ou nanoencapsulados) serão utilizados para a obtenção do silenciamento gênico. Esta abordagem será realizada em estreita colaboração com a Dra. Laurence Bindschedler da RHUL (Royal Holloway University of London), que apresenta grande expertise neste tema. Os resultados obtidos poderão ser expandidos para outros patógenos e culturas de importância para o país e têm um grande potencial para a geração de produtos sustentáveis, de baixo impacto ao meio ambiente, estando assim totalmente alinhados às premissas da Bioeconomia. (AU)