Busca avançada
Ano de início
Entree

Impacto da biodiversidade de espécies em sistemas integrados sobre aspectos ambientais e produtivos de pastagens no Cerrado e Mata Atlântica

Processo: 19/24123-0
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de julho de 2021 - 30 de junho de 2023
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Zootecnia - Pastagens e Forragicultura
Convênio/Acordo: CONFAP - Conselho Nacional das Fundações Estaduais de Amparo à Pesquisa
Pesquisador responsável:Ana Cláudia Ruggieri
Beneficiário:Ana Cláudia Ruggieri
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias (FCAV). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Jaboticabal. Jaboticabal , SP, Brasil
Pesq. associados:Abmael da Silva Cardoso ; Ricardo Andrade Reis
Assunto(s):Pastagens  Manejo integrado  Agrossilvicultura  Impactos ambientais  Emissão de gases  Óxido nitroso  Dióxido de carbono  Metano  Mudança climática  Mata Atlântica  Cerrado 

Resumo

O Brasil possui uma das maiores áreas com pastagens do planeta sendo a sua maioria em algum estágio de degradação levando a perda de biodiversidade e causando impactos ambientais. O aumento da biodiversidade através do uso de mais de 2 espécies (gramíneas e forrageiras) pode levar ao aumento da produção, melhorar a estrutura e fertilidade do solo, o valor nutritivo da forrageira, alterar a diversidade e abundância de micro-organismo do solo e reduzir a emissão de gases como dióxido de carbono (CO2), óxido nitroso (N2O) e metano (CH4). Dois experimentos com o objetivo de avaliar as variáveis acimas descritos serão conduzidos em biomas distintos. Um no Bioma Mata Atlântica em São Paulo e outro no Cerrado em Goiás. O delineamento experimento será o de blocos ao acaso com 5 repetições. Os tratamentos serão sistema de integração lavoura pecuária, monocultura de pastagens e o sistema nativo. As variáveis relacionadas a forragem avaliadas serão: produção de massa seca, composição botânica e morfológica, composição química e digestibilidade in vitro; as do solo: porosidade, fertilidade, carbono lábil e solúvel, amônio e nitrato; as de microbiologia: diversidade e abundância dos grupos envolvidos na emissão de N2O e CH4. Os dados servirão para desenvolver estratégias para o aumento da biodiversidade e da produtividade pecuária, mitigação da emissão de GEE e compreensão da microbiologia do solo envolvida na emissão dos GEE em sistemas integrados em clima tropical. (AU)