Busca avançada
Ano de início
Entree

COVID-19 e o papel do envelhecimento na inflamação e desenvolvimento de fibrose pulmonar

Resumo

Os idosos são desproporcionalmente afetados pela forma grave da COVID-19, com mortalidade crescente de acordo com a faixa etária, chegando a 20% nos indivíduos com mais de oitenta anos. Credita-se a maior susceptibilidade não só à maior frequência de co-morbidades, mas também às alterações imunológicas próprias do envelhecimento, como ativação do sistema imune inato e deficiências de respostas linfocitárias. A resposta a estímulos fibróticos e reparativos também está alterada em idosos, que apresentam maior produção de colágeno após injúrias teciduais. Essas alterações parecem estar mediadas por vários mecanismos subcelulares, como a menor expressão de sirtuínas, ativação do inflamassoma NLRP3 e desregulação dos mecanismos de resposta à hipóxia. Alterações nos receptores virais ACE2 e TMPRSS-2 que ocorrem durante as diferentes faixas etárias também parecem influir na gravidade da resposta à infecção pelo COVID-19. Pouco se conhece sobre o envelhecimento pulmonar e as alterações celulares inflamatórias residentes nos pulmões de pacientes idosos. Neste projeto estudaremos tecido pulmonar obtido através de autópsia minimamente invasiva em pacientes adultos e idosos que faleceram por COVID-19, provenientes do Hospital das Clínicas da FMUSP, de março a junho de 2020. Como controle serão utilizados fragmentos de tecido pulmonar de pacientes idosos e adultos, falecidos por causa não pulmonar, tecido pulmonar de pacientes falecidos por Síndrome do Desconforto Respiratório Agudo, também pareados por idade e tempo de ventilação mecânica. A expressão dos receptores virais será comparada com tecido pulmonar obtido através de autópsias pediátricas de crianças falecidas sem doença pulmonar. Serão estudados os marcadores celulares e de matrix extracelular por método imunohistoquímico em tecido pulmonar de pacientes falecidos por COVID-19. Pela técnica de Luminex em fragmentos congelados de tecido pulmonar, COVID-19, serão quantificadas citocinas, quimiocinas, fatores de crescimento e metalopreoteases de matrix. Pela técnica de PCR, serão quantificados os genes envolvidos na rota do inflamassoma NLRP3 e do fator 1 induzível por hipóxia (HIF-1). Este conjunto de dados permitirá melhor entendimento dos processos inflamatórios e fibróticos da COVID e a influência do envelhecimento pulmonar sobre eles. (AU)