Busca avançada
Ano de início
Entree

Melatonina, fisiologia e fisiopatologia, estudos básicos e clínicos: caracterização da Síndrome Hipomelatoninêmica e o papel da reposição terapêutica com melatonina

Processo: 19/24327-5
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Temático
Vigência: 01 de fevereiro de 2021 - 31 de janeiro de 2026
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Fisiologia - Fisiologia de Órgãos e Sistemas
Pesquisador responsável:José Cipolla Neto
Beneficiário:José Cipolla Neto
Instituição-sede: Instituto de Ciências Biomédicas (ICB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Pesq. associados:Adriana Aparecida Siviero Miachon ; Andrea Maria Cappellano ; Angela Maria Spinola Castro ; Angelo Rafael Carpinelli ; Ariane Ferreira Machado Avelar ; Bruno Halpern ; Carolina Beltrame Del Debbio ; Clarissa Bueno ; Claudia Roberta de Castro Moreno ; Cristoforo Scavone ; DIEGO DE CASTRO DOS SANTOS ; Elaine Cristina Marqueze ; Elisa Mitiko Kawamoto Iwashe ; Fernanda Gaspar Do Amaral ; Fernanda Marques da Cunha ; Fernando Maurício Francis Abdalla ; Gisele Giannocco ; Jackson Cioni Bittencourt ; Kátia de Angelis Lobo D Avila ; Leandro Campos de Brito ; Leticia Maria Santoro Franco Azevedo Soster ; Luciana Aparecida Campos Baltatu ; Maria Lucia Cardillo Corrêa Giannella ; Maria Paz Loayza Hidalgo ; Maria Regina Lopes Sandoval ; Maria Tereza Nunes ; Maristela de Oliveira Poletini ; Nasjla Saba da Silva ; Ovidiu Constantin Baltatu ; Raphael Escorsim Szawka ; Raquel Chacon Ruiz Martinez ; Rubens Gisbert Cury ; Solange Castro Afeche ; Taiza Stumpp Teixeira
Assunto(s):Neuroendocrinologia  Fisiopatologia  Melatonina  Metabolismo energético  Ritmo circadiano  Sistema cardiovascular  Sono  Prenhez  Lactação animal  Desenvolvimento fetal 

Resumo

O presente projeto Temático pretende abordar questões básicas e clínicas, tendo como tema comum a Hipomelatoninemia, dividido em três grandes grupos de trabalhos. No grupo I os projetos têm como objetivo estudar como a redução da produção de melatonina pineal interfere com alguns aspectos da fisiologia da gestação, do desenvolvimento e programação fetal e neonatal e consequentes regulações fisiológicas da prole ao longo da vida. Serão estudados, durante a gestação e lactação, na rata mães, alguns aspectos do remodelamento do pâncreas endócrino, do metabolismo hepático, neurogênese hipocampal e a síntese de melatonina pineal. Além disso, pretende-se estudar como a ausência da melatonina pineal e sua reposição terapêutica, durante a gestação e lactação, afeta a fisiologia da prole, abrangendo várias funções: metabolismo glicídico, lipidíco e energético, comportamento alimentar, função cardiovascular, e reprodutiva, em machos e fêmeas, o eixo hipotálamo-hipófise-tireóide, a plasticidade neural e a capacidade de aprendizado e memorização e sua alteração pelo exercício espontâneo ou forçado, a suscetibilidade neural à ação de drogas e toxinas e, por fim, a síntese pineal de melatonina. No grupo II os trabalhos são clínicos e têm como objetivo caracterizar a síndrome humana da hipomelatoninemia, estudando nos pacientes antes e depois da reposição terapêutica com melatonina, vários aspectos da fisiologia e fisiopatologia, como a ritmicidade circadiana, o ciclo sono/vigília, o sistema cardiovascular, o metabolismo e estados de humor. A Hipomelatoninemia será caracterizada em vários contextos clínicos: pacientes pinealectomizados (Hipomelatoninemia primária) e em várias síndromes que apresentam a Hipomelatoninemia secundária, como Diabetes tipo 1, Doença de Parkinson, Doença do Espectro do Autismo, Transtorno do Humor Bipolar, pacientes críticos em UTI e a fotoinibição noturna pineal em UTIs e durante a exigência de uma sessão de exercício aeróbio agudo. Dentro das temáticas dos grupos I e II, serão estudadas, também, trabalhadoras noturnas e seus filhos gestados e gerados em condição de fotoinibição noturna. Por fim, no grupo III, pretende-se estudar um outro aspecto da Hipomelatoninemia, qual seja, o balanço entre a melatonina pineal e a de síntese local nas funções ocular e retiniana e da barreira hematoencefálica. (AU)