Busca avançada
Ano de início
Entree

Qualidade e recuperação estrutural do solo em sistema agroflorestal

Processo: 20/08931-7
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de fevereiro de 2021 - 31 de janeiro de 2023
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Engenharia Agrícola - Engenharia de Água e Solo
Convênio/Acordo: FAPEAM
Pesquisador responsável:Zigomar Menezes de Souza
Beneficiário:Zigomar Menezes de Souza
Instituição-sede: Faculdade de Engenharia Agrícola (FEAGRI). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Pesq. associados:Alan Rodrigo Panosso ; Cássio Antonio Tormena ; Maurício Roberto Cherubin ; Milton César Costa Campos ; Newton La Scala Júnior
Assunto(s):Agricultura sustentável  Degradação do solo  Sistemas agroflorestais 

Resumo

Os modelos e as práticas da agricultura moderna brasileira, derivados da "Revolução Verde", ainda são responsáveis por intensa degradação ambiental dos atributos do solo. As técnicas adotadas alteram a fertilidade do solo, promovem a erosão e a compactação e, favorecem a desertificação, reduzindo sua capacidade de recuperação. Os Sistemas Agroflorestais (SAF) são sistemas produtivos que podem potencializar a sustentabilidade da produção agrícola, equilibrando ganhos econômicos, sociais e ambientais e, a recuperação de sistemas degradados. O objetivo desse estudo é avaliar a qualidade e recuperação estrutural do Argissolo Vermelho-Amarelo em áreas sob diferentes Sistemas Agroflorestais (Sistemas Agrossilviculturais, Silvipastoris e Agrossilvipastoris), área de pastagem degradada e floresta natural nos municípios de Canutama, Lábrea e Humaitá na região Sul do Amazonas. O estudo será realizado em áreas localizadas na região Sul do Amazonas, entre 2020 e 2022, com cinco tratamentos: (i) SAF1 - sistema agrossilvicultural; (ii) SAF2 - sistema silvipastoril; (iii) sistema agrossilvipastoril; (iv) PA - pastagem; e (v) FN - floresta natural. As coletas de solo serão realizadas nas profundidades de 0,00-0,05, 0,05-0,10, 0,10-0,20 e 0,20-040 m, a partir da abertura de trincheiras, distanciados 10 metros entre si, ao longo de um "transecto" pré-determinado de acordo com as características e disposições de cada área amostral. Serão analisados os atributos físicos do solo, os atributos químicos, caracterização mineralógica, análise visual da estrutura do solo (VESS), micromorfologia do solo, estoque de carbono e fracionamento físico e químico da matéria orgânica e, a composição e a diversidade da macrofauna edáfica. Os dados serão analisados utilizando-se as análises estatísticas univariada e multivariada, analises discriminantes, de fatores e pelo método de indução RANDON FOREST. (AU)