Busca avançada
Ano de início
Entree

Projeto de melhoria da infraestrutura de pesquisa na Escola de Engenharia de São Carlos (EESC-USP)

Processo: 20/15043-0
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Reserva Técnica para Infra-estrutura Institucional de Pesquisa
Vigência: 01 de março de 2021 - 28 de fevereiro de 2022
Área do conhecimento:Interdisciplinar
Pesquisador responsável:Edson Cezar Wendland
Beneficiário:Edson Cezar Wendland
Instituição-sede: Escola de Engenharia de São Carlos (EESC). Universidade de São Paulo (USP). São Carlos , SP, Brasil

Resumo

A Escola de Engenharia de São Carlos (EESC-USP) conta atualmente com 9 Departamentos: Engenharia Hidráulica e Saneamento, Engenharia de Estruturas (Civil), Engenharia Mecânica, Engenharia Elétrica, Engenharia de Transportes, Engenharia de Produção, Engenharia de Materiais, Engenharia Aeronáutica e o departamento de Geotecnia; com 5 Centros: CETEPE - Centro de Tecnologia Educacional para Engenharia, CRHEA - Centro de Recursos Hídricos e Ecologia Aplicada, CEAS - Centro de Engenharia Aplicada à Saúde, EESCIn - Centro Avançado EESC para Apoio à Inovação e uma Biblioteca e o Centro de Robótica. A EESC oferece 10 cursos de graduação e conta com 11 Programas de Pós-Graduação, sendo 4 deles considerados de excelência (conceito 6 ou 7) na última Avaliação CAPES.Sua infraestrutura é composta por laboratórios, salas de aula, anfiteatros, centros e núcleos, setores de biblioteca, informática e administrativos que totalizam aproximadamente 71 mil metros quadrados de área construída, distribuídos entre as 73 edificações localizadas em 3 áreas distintas, sendo duas áreas na cidade de São Carlos e uma área na cidade de Itirapina. As instalações da EESC abrigam mais de 90 laboratórios de pesquisa, ocupando mais de 20 mil metros quadrados de área construída, e atendem a mais de 1.000 alunos de pós-graduação, além de alunos de graduação realizando pesquisas de iniciação científica, e aos quase 180 docentes da Escola. Ao longo dos anos, esses laboratórios de pesquisa têm recebido apoio importante da FAPESP e outras agências nacionais e internacionais de fomento à pesquisa e empresas públicas e privadas para aquisição e manutenção de equipamentos, adequação de área física e infraestrutura, além de custeio e bolsas para os alunos pesquisadores.Nos últimos anos, a EESC vem investindo fortemente na melhoria da qualidade e segurança dos serviços de informática, utilizados por todos os pesquisadores da EESC, seja com recursos próprios de orçamento da Unidade, seja com recursos da Superintendência de Tecnologia da Informação (STI-USP) da Universidade de São Paulo, seja com recursos de agências de fomento, como por exemplo a Reserva Técnica para Infraestrutura Institucional de Pesquisa (RTI) da FAPESP. Entre alguns exemplos de investimentos em informática que receberam recursos da FAPESP nos últimos anos, poderiam ser mencionados: aquisição, instalação e expansão do Servidor HP BladeSystem C7000; ampliação e melhoria da cobertura de sinal Wi-Fi da rede USPnet sem fio nas diversas edificações da EESC; modernização dos equipamentos ativos das redes locais (switches, roteador e firewall) da EESC e seus dispositivos que complementam a rede local (nobreaks, access points, câmeras de monitoramento IP, controle de acesso, telefonia VoIP, etc); entre outros. Toda essa infraestrutura de TI requer ambiente adequadamente climatizado para que servidores, roteadores, firewall, no-breaks, entre outros recursos funcionem continuamente e sem risco de pane por superaquecimento. Assim, para manter o bom funcionamento dessa infraestrutura de TI, faz-se necessário o suporte técnico para manutenção do Servidor HP BladeSystem C7000, a aquisição de novas antenas e a modernização do sistema de climatização das salas dos servidores e de no-breaks por equipamentos apropriados para esse tipo de uso. Outra demanda relacionada à nossa infraestrutura de pesquisa é a execução de adequação das instalações dos sistemas de proteção contra descarga atmosférica (SPDA) de vários laboratórios de pesquisa. Essa demanda decorre de um diagnóstico técnico sobre essas instalações e posterior contratação de projeto elétrico para adequações necessárias. Ambas iniciativas foram custeadas com recursos do RTI FAPESP (processos 2017/24007-7 e 2018/23964-9). Uma terceira demanda, refere-se à infraestrutura de auditórios da Biblioteca usados para eventos de divulgação científica. Com recursos do RTI-FAPESP do ano passado (processo no 2019/25194-9) esses auditórios estão sendo modernizados. (AU)