Busca avançada
Ano de início
Entree

Determinação da ação antimicrobiana e antioxidante de um aditivo natural a base de óleos essenciais e do seu efeito no desempenho da produção de frangos em condições comerciais

Processo: 20/05650-7
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Pesquisa Inovativa em Pequenas Empresas - PIPE
Vigência: 01 de julho de 2021 - 31 de março de 2022
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Zootecnia - Nutrição e Alimentação Animal
Pesquisador responsável:Wolney Ernesto Longhini
Beneficiário:Wolney Ernesto Longhini
Empresa:Terpenia Desenvolvimento de Bioinsumos Ltda
CNAE: Criação de aves
Fabricação de produtos de carne
Município: São Paulo
Assunto(s):Avicultura  Frangos de corte  Salmonella  Antioxidantes  Bactericidas  Aditivos alimentares para animal  Óleos essenciais  Eugenol  Timol 

Resumo

A avicultura brasileira é uma das atividades pecuárias de maior impacto econômico e social no país; segundo o IBGE (Censo Agropecuário de 2017) possui mais de 2.5 milhões de estabelecimentos dedicados à engorda de frangos e mais de 2,8 milhões de estabelecimentos dedicados à produção de ovos, em todas as 27 unidades da federação. Segundo a Confederação Nacional da Agricultura, a produção de carne de frango ultrapassou as 13 milhões de toneladas em 2019, com um valor da produção superior aos R$ 40 bilhões. Também na geração de divisas com a exportação, a avicultura se destaca: segundo a SECEX, mais de 4 milhões de toneladas foram exportadas a um valor superior aos US$ 6,5 bilhões, tornando o Brasil um dos maiores produtores e exportadores de carne de frango. Por outro lado, os custos de produção, concentrado principalmente na alimentação e em cuidados sanitários, apresentam hoje as melhores oportunidades para aumentar a produtividade e o retorno econômico dos avicultores. Já quanto ao mercado consumidor, a avicultura caminha para o banimento de compostos sintéticos utilizados nas dietas das aves, como já vem ocorrendo com os antibióticos promotores de crescimento, tanto devido as diretrizes impostas pela legislação brasileira e quanto pelo aumento da demanda de consumidores contrários à adição de aditivos artificiais nas dietas dos animais. Com isto, empresas e universidades têm orientado seus esforços na busca por produtos naturais que substituam de forma efetiva estes compostos sintéticos. Herbáceas e especiarias surgem como uma opção de uso nas dietas dos animais, uma vez que possuem vários mecanismos intrínsecos de defesa com conhecidas ações antimicrobianas, antifúngicas, antioxidantes, dentre outras. Uma diversidade de estudos in vitro com óleos essenciais obtidos de diferentes plantas confirmam seus vários mecanismos de ação, principalmente com relação ao combate de patógenos e ação antioxidante. Entretanto, estudos in vivo se tornam essenciais para elucidar e confirmar a eficácia na utilização dos óleos essenciais, expressando seus resultados na forma de melhoria de desempenho, controle de patógenos e aumento de vida de prateleira, que são os objetivos da ação antimicrobiana e antioxidante destes compostos. O Centro de Pesquisa Pluridisciplinar de Pesquisas Químicas, Biológicas e Agrícolas - CPQBA, da UNICAMP, desenvolveu e patenteou uma micropartícula de óleos essenciais com objetivo de reduzir a oxidação lipídica na carne de frango processada, e que apresentou efeitos antimicrobiano e de melhoria no desempenho do crescimento de aves, em determinadas concentrações. Neste sentido, a Terpenia, empresa em processo da criação, com o objetivo de produzir aditivos para a alimentação animal baseados em produtos naturais derivados de essências e extratos vegetais, negocia com a Inova/Unicamp o licenciamento da micropartícula desenvolvida pelo CPQBA, para a utilização como promotor de crescimento e aditivo antimicrobiano de rações de frangos de corte. Com o presente trabalho de pesquisa, pretende avaliar os efeitos e determinar a viabilidade técnica da utilização da micropartícula de óleos essenciais como aditivo zootécnico promotor de crescimento, inibidor da atividade microbiana e indutor no aumento da formação de ácidos graxos ômega 3 em frangos de corte. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o auxílio:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)