Busca avançada
Ano de início
Entree

Controle da tradução de mRNAs que codificam componentes do cílio primário em glioblastomas

Processo: 20/14045-0
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de abril de 2021 - 31 de março de 2023
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Bioquímica - Biologia Molecular
Pesquisador responsável:Martín Roffé
Beneficiário:Martín Roffé
Instituição-sede: A C Camargo Cancer Center. Fundação Antonio Prudente (FAP). São Paulo , SP, Brasil
Pesq. associados:Douglas Guedes de Castro ; Felipe D'Almeida Costa ; Glaucia Noeli Maroso Hajj ; Tommy Alain ; Tyson Graber ; Vilma Regina Martins ; Warley Abreu Nunes
Assunto(s):Glioblastoma  Oncologia 

Resumo

O glioblastoma (GBM) é o tumor do cérebro mais maligno e mortal. Mesmo com o tratamento padrão, praticamente todos os GBMs recorrem em meses. Estudos de larga escala em GBMs resultaram em diversas classificações moleculares baseadas em níveis de mRNAs expressos (transcriptoma), porém, não foram úteis na clínica. Um possível fator é que o produto funcional final da maioria dos genes é uma proteína. Nosso laboratório analisou a fração dos mRNAs que estão sendo ativamente traduzidos para formar proteínas (translatoma) em casos de GBMs e identificamos alterações de expressão gênica não detectadas no transcriptoma. Observamos que mRNAs que codificam proteínas relacionadas com o cílio primário (PC), uma organela envolvida com sinalização celular oncogênica, estavam reduzidos no translatoma de pacientes com sobrevida prolongada, mas não no transcriptoma. Um desses mRNAs codifica a proteína PCM1, necessária para a formação de PC e resistência à temozolomida, utilizada no tratamento padrão de GBM. A presente proposta busca identificar os mecanismos de controle da tradução desses mRNAs (PC-mRNAs). Dados preliminares sugerem que a sua tradução em GBMs aconteceria por mecanismos específicos, e provavelmente inéditos. Neste projeto, integraremos experimentos de ribosome profiling, bioinformática, bioquímicos e de biologia celular para identificar os determinantes da tradução específica de PC-mRNAs. Verificaremos se a modulação desses mRNAs e/ou dos mecanismos de controle da tradução afeta a dinâmica do PC e a resistência ao tratamento. Reforçaremos a relevância da proposta através da análise da presença de PCs e da expressão das proteínas codificadas por PC-mRNAs em casos de GBM, e sua relação com dados clínicos, principalmente sobrevida e resistência ao tratamento. (AU)