Busca avançada
Ano de início
Entree

Comunicação entre o sistema nervoso central e rins: influências cardiovasculares, renais e autonômicas em condições fisiológicas e fisiopatológicas

Resumo

As doenças cardiovasculares e renais estão entre as principais causas de morbidade e mortalidade no Brasil e no mundo. A hipertensão arterial é um dos principais fatores de risco para doenças como infarto do miocárdio, insuficiência cardíaca e insuficiência renal. É interessante que estas condições fisiopatológicas têm em comum o aumento da atividade vasomotora simpática e curiosamente, quanto maior é a severidade da doença cardiovascular ou renal, maior é a ativação vasomotora simpática. Entretanto, os mecanismos desencadeadores do aumento exacerbado da atividade vasomotora simpática nestas condições não são totalmente conhecidos. No presente projeto, pretendemos avançar no entendimento de como a atividade vasomotora simpática aumenta na hipertensão arterial experimental e em outros modelos que reconhecidamente têm aumento de atividade simpática, sobretudo, buscaremos melhorar nosso entendimento de como se dá a comunicação entre os rins e o sistema nervoso central (SNC). Os rins recebem intensa inervação simpática, que tem a capacidade de alterar de forma robusta a função renal e reciprocamente, os rins contêm aferentes renais que se projetam ao SNC em regiões que por sua vez, controlam o sistema cardiovascular e renal. Nossa hipótese é a de que alterações em receptores renais (mecanorreceptores e quimiorreceptores) em condições fisiopatológicas possam desencadear alterações nos mecanismos de controle cardiovascular e renal levando a hipertonia simpática em condições fisiopatológicas, o que agrava e piora o quadro. Esperamos que ao final deste projeto possamos avançar no entendimento de como a atividade vasomotora simpática aumenta de forma desproporcional em algumas situações fisiopatológicas, sobretudo, no que diz respeito à comunicação entre SNC e rins. (AU)