Busca avançada
Ano de início
Entree

Análise de diferentes tratamentos da hipersensibilidade dentinária: avaliações in vitro e in vivo

Processo: 20/07625-0
Modalidade de apoio:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de abril de 2021 - 31 de março de 2023
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia - Materiais Odontológicos
Pesquisador responsável:Ticiane Cestari Fagundes
Beneficiário:Ticiane Cestari Fagundes
Instituição Sede: Faculdade de Odontologia (FOA). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Araçatuba. Araçatuba , SP, Brasil
Pesquisadores associados:Alberto Carlos Botazzo Delbem ; Juliano Pelim Pessan
Assunto(s):Dentística  Sensibilidade da dentina  Desgaste dos dentes  Dessensibilizantes dentinários  Erosão dentária  Permeabilidade da dentina  Microscopia confocal  Estudo clínico 
Palavra(s)-Chave do Pesquisador:desgaste dos dentes | Dessensibilizantes dentinários | erosão dentária | Estudo Clínico | microscopia confocal | Permeabilidade da dentina | Dentística

Resumo

A hipersensibilidade dentinária é uma condição frequentemente encontrada na prática odontológica, contudo, a literatura não apresenta um protocolo de tratamento duradouro para estes casos. O objetivo deste estudo será investigar os efeitos de diferentes categorias de tratamentos para hipersensibilidade dentinária, utilizando os seguintes protocolos: verniz placebo (controle negativo - VP); verniz fluoretado (controle positivo, Duraphat - VF); verniz experimental (NaF 5% + 5% TMP - VT); solução com cerâmica bioativa cristalina (Biosilicato® - SS); solução com amelotina (SA); sistema adesivo autocondicionante (Single Bond Universal - SB); verniz fluoretado fotoativado bioativo (PRG - VL). Para o estudo in vitro (Subprojeto I), 140 blocos de dentina radicular bovina serão tratados com diferentes dessensibilizantes; submetidos a desafios erosivos-abrasivos, e analisados em relação à permeabilidade dentinária, ao desgaste, à infiltração dentro do substrato dentinário e obliteração dos túbulos dentinários. Será também realizada a análise de citotoxicidade utilizando a quantificação de proteínas (subprojeto II). Dos seis tratamentos propostos in vitro, os três que obtiverem os melhores resultados serão testados in vivo, mantendo o grupo VF (subprojeto III). Cento e noventa e dois dentes (48 por tratamento) com raiz exposta com hipersensibilidade dentinária (sem cavidade) serão tratados por meio de um estudo paralelo randomizado. Cada paciente será tratado com o mesmo protocolo dessensibilizante. O grau de sensibilidade dentinária será analisado por meio da escala visual analógica (VAS) e escala visual computadorizada (CoVAS), antes do tratamento (baseline) e 7, 15, 30 dias, 6 e 12 meses após o tratamento. Os resultados serão submetidos a testes estatísticos específicos. Espera-se que o presente estudo contribua para o conhecimento do mecanismo de ação de novos protocolos dessensibilizantes, bem como para a obtenção de um protocolo clínico inovador e eficaz para a hipersensibilidade dentinária. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o auxílio:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)