Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação da resposta clínica, histológica e de biomarcadores após terapia de indução na nefrite lúpica

Processo: 20/12550-9
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de abril de 2021 - 31 de março de 2023
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Pesquisador responsável:Emilia Inoue Sato
Beneficiário:Emilia Inoue Sato
Instituição-sede: Escola Paulista de Medicina (EPM). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus São Paulo. São Paulo , SP, Brasil
Pesq. associados: Danielle Christinne Soares Egypto de Brito ; Edgard Torres dos Reis Neto ; Luiz Antonio Ribeiro de Moura
Assunto(s):Biomarcadores  Lúpus eritematoso sistêmico  Nefrite  Reumatologia 

Resumo

Resumo: O Lúpus eritematoso sistêmico (LES) é uma doença inflamatória crônica, autoimune, multissistêmica, de etiologia desconhecida. A nefrite lúpica (NL) ocorre em 40 a 75% dos pacientes e está associada com significativa morbimortalidade. Apresenta graus distintos de gravidade, com períodos de atividade e remissão. A clínica, a sorologia e os testes laboratoriais não conseguem predizer, de forma precisa os achados histológicos na maioria dos casos de NL, devendo a biópsia renal ser feita sempre que possível. Objetivos: O objetivo principal será avaliar a resposta histológica renal na segunda biópsia após terapia de indução e correlacionar com a resposta clínica da atividade renal e com biomarcadores. Os objetivos secundários são: descrever os índices de atividade e cronicidade e as lesões encontradas no componente glomerular, assim como, caracterizar as alterações encontradas nos componentes túbulo-intersticial e vascular e correlacioná-las com parâmetros laboratoriais e biomarcadores. Material e Métodos: Estudo aberto, prospectivo, multicêntrico, nos hospitais universitários de São Paulo, João Pessoa, Belo Horizonte e Recife, com cerca de 60 pacientes com nefrite lúpica, confirmadas através de biópsia renal. Serão realizadas duas biópsias, uma para o diagnóstico da NL e outra após o término da terapia de indução e serão dosados biomarcadores renais (C3, C4, anti-DNAds, antinucleossomo, anti-C1q, TWEAK e MCP-1) antes e ao término desta terapia. Resultados esperados: Este estudo poderá demonstrar a real necessidade da rebiópsia para o adequado tratamento da NL, assim como, mostrar se o uso de biomarcadores poderá reduzir a necessidade da biópsia renal. (AU)