Busca avançada
Ano de início
Entree

Nota técnica: Controle de qualidade tridimensional de tratamentos de radioterapia com reforço de dose integrada e simultânea por uma metodologia baseada no histograma dose-volume e sua comparação com os resultados do gamma tridimensional

Resumo

PropósitoA radioterapia por intensidade modulada com reforço de dose integrado e simultâneo (SIB) apresenta várias vantagens atrativas para serem empregadas na prática clínica. Sua aplicação segura exige um procedimento rigoroso de garantia de qualidade (CQ), ideal para aplicações de medidas tridimensionais (3D) de distribuição de dose. Assim, uma metodologia de dosimetria gel para avaliar a entrega de dose de tratamentos SIB é apresentada e comparada com a avaliação gama convencional.MétodosO dosímetro gel MAGIC f com leitura atraves de imagens de ressonância magnética foi usado seguindo seu procedimento padrão. Quatro planos de CQ SIB foram criados em objetos simuladores preenchidos com o dosímetro de gel. O resultado medido com o gel e as doses calculadas pelo sistema de planejamento de tratamento (TPS) foram comparados usando análises gama 3D (3% / 3 mm / 15% de limiar). Duas estruturas foram criadas artificialmente na distribuição de dose TPS esperada no fantoma, convertendo os níveis de isodose de 1,7 e 2,0 Gy em estruturas para representar o tratamento. O histograma de dose-volume do gel e do TPS foram comparados com base em cinco pontos de dose: D95%, D90%, D50%, D10% e D5%.ResultadosAprovações de 93%, 96%, 98% e 92% foram obtidas nas análises gama 3D para os planos de CQ 1, 2, 3 e 4. Nas análises de DVH, as curvas medidas e esperadas do plano CQ 1 mostraram uma boa concordância. O plano 2 de CQ apresentou desvios nas doses mais altas para ambas as estruturas com um desvio máximo (”máx) de 8,0%. Os planos CQ 3 e 4 mostraram a maior variação de dose entre o gel e o TPS nas doses menores de DVH (”máx de 7,2% e -8,9%, respectivamente). Para o plano CQ 4, as curvas da estrutura de 1,7 Gy apresentaram boa concordância, mas ocorreram desvios na região de menor dose da curva para a estrutura de 2 Gy (”máx de 7,7%).ConclusõesUma metodologia para avaliação de dose 3D de tratamentos complexos SIB foi proposta. Ela forneceu uma importante visão geral das distribuições de dose. Seus resultados complementaram significativamente os resultados usuais da análise gama. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o auxílio: