Busca avançada
Ano de início
Entree

Copépodes ciclopóides como indicadores de nível trófico em reservatórios Sul-Americanos: uma nova perspectiva baseada ao nível de espécies em uma grande escala espacial

Resumo

Com o objetivo de identificar indicadores eficientes para a qualidade da água do reservatório, a abundância de copépodes ciclopóides, 11 variáveis limnológicas e um índice de estado trófico modificado (IST) para sistemas de reservatórios tropicais/subtropicais foram estudados em 30 diferentes reservatórios na América do Sul. Foram analisadas 331 amostragens originadas de seis diferentes estudos em uma ampla escala espaço-temporal. As amostragens incluíram pequenos a grandes reservatórios (variando de 6 a 2.250 km2 de área) oligo, meso e eutróficos, e locais com eutrofização pontual de fazendas de viveiros de peixes. A ordenação da escala espacial foi relevante para variáveis e reservatórios, mas a escala temporal também foi importante em todas as análises, posicionando o mesmo reservatório amostrado em anos diferentes contrastando com correlações em termos de espécies e variáveis. A análise de componentes principais indicou consistentemente a importância da clorofila, nutrientes (fósforo e nitrogênio), turbidez, transparência e profundidade para a ordenação adequada dos reservatórios de acordo com o grau trófico. De todas as 13 espécies de ciclopóides identificadas, dez foram planctônicas e, ao final, após análises estatísticas, cinco espécies foram selecionadas como indicadores eficientes da qualidade da água. A análise de redundância relacionou diferentes espécies com diferentes aspectos tróficos: Acanthocyclops robustus, Microcyclops anceps e Tropocyclops prasinus foram positivamente associados à clorofila e inversamente associados à transparência da água, Thermocyclops decipiens e T. inversus com condutividade elétrica e ligeiramente associados à clorofila e nutrientes totais (fósforo e nitrogênio) e, finalmente, Thermocyclops minutus foi positivamente correlacionado com a transparência. As correlações de Spearman indicaram que apenas a abundância de T. inversus foi correlacionada com a temperatura da água, mas T. decipiens não foi correlacionado com TSI, o que é intrigante porque esta espécie tem sido comumente associada a águas eutróficas. Apesar de tolerar uma ampla gama de condições tróficas como apontado na RDA, T. decipiens parece ser substituído por outras espécies mais resistentes quando as condições se tornam muito altas - ambientes hipereutróficos. Outras quatro espécies selecionadas foram correlacionadas com o TSI, e T. minutus foi negativamente correlacionado, confirmando sua associação com águas oligotróficas. De todas as espécies encontradas, concluímos que A. robustus, M. anceps, T. prasinus, T. decipiens e T. minutus são bons indicadores do nível de estado trófico em reservatórios sul-americanos. (AU)