Busca avançada
Ano de início
Entree

Sistema de controle de lavra, usina e manutenção para minerações de pequeno e médio porte

Processo: 20/13593-3
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Pesquisa Inovativa em Pequenas Empresas - PIPE
Vigência: 01 de junho de 2021 - 28 de fevereiro de 2022
Área do conhecimento:Engenharias - Engenharia de Minas - Lavra
Pesquisador responsável:Jaime Ijichi Machado
Beneficiário:Jaime Ijichi Machado
Empresa:Dynamine Consultoria em Engenharia Ltda
CNAE: Desenvolvimento e licenciamento de programas de computador customizáveis
Serviços de engenharia
Município: São Paulo
Pesq. associados:Dennis Travagini Cremonese
Bolsa(s) vinculada(s):21/06958-8 - Sistema de Controle de Lavra, Usina e Manutenção para minerações de Pequeno e Médio Porte, BP.TT
21/06839-9 - Sistema de controle de lavra, usina e manutenção para minerações de pequeno e médio porte, BP.PIPE
Assunto(s):Indústria 4.0  Internet das coisas  Sensoriamento  Equipamentos de mineração  Mineração  Usinas 

Resumo

Enquanto as minerações de grande porte possuem capital financeiro e humano para investir em tecnologias de ponta para o monitoramento de seu processo produtivo, as empresas de pequeno e médio porte, que representam a grande maioria das empresas deste setor (95% no Brasil) ficam desamparadas. Embora estas empresas menores possuam a necessidade de aquisição de novas tecnologias, elas possuem dificuldades no investimento financeiro e humano em soluções deste tipo. Este projeto pretende desenvolver um sistema acessível para minerações de pequeno e médio porte, capaz de fornecer informações em tempo real sobre os equipamentos de lavra (caminhões, escavadeiras etc.), os equipamentos da usina (britadores, transportadores de correia etc.) e manutenção (consumíveis por km etc.). A precisão na localização do sensor dos equipamentos de lavra será comparada com um equipamento portátil de alta precisão de múltiplos GNSS (GPS, GLONASS e Galileo) e com a real posição georreferenciada. Serão testadas três situações. A primeira será fixa em área aberta, em condições boas de visualização dos satélites. A segunda será fixa na parte baixa de uma cava, local onde apresenta o maior desafio para coleta de informações precisas. A terceira será em movimento. A precisão da corrente do sensor dos equipamentos de usina será comparada com um equipamento portátil de alta precisão e com o medidor de corrente do equipamento. Serão testadas dez situações. As cinco primeiras serão com o equipamento em boas condições ligado sem material, com 25% da capacidade, com 50% da capacidade, com 75% da capacidade e com 100% da capacidade. As cinco últimas serão com o equipamento em más condições, por exemplo, se for testado num transportador de correia, será com alguns rolos travados. Os resultados esperados no final do PIPE Fase 1 são: 1 - Que os sensores dos equipamentos de lavra coletem as posições destes, envie para o servidor, que irá identificar se os equipamentos estão carregando, descarregando, transportando vazio e carregado, em fila e em manutenção; 2 - Que os sensores dos equipamentos da usina coletem a corrente, envie para o servidor, que irá identificar a quantidade de material presente no equipamento ou a probabilidade de falha. Com este sistema as minerações de menor porte, responsáveis pela maior parte dos materiais da construção civil, como areia e brita, poderão tomar decisões baseadas em informações, reduzindo os custos e aumentando a produtividade. O sistema irá melhorar o rendimento da mineração, que consequentemente fornecerá produtos com menor custo para a sociedade. Além disso, com o menor consumo de combustível e eletricidade, para cada tonelada de minério produzida e beneficiada deverá ser emitida menor quantidade de gases de efeito estufa. (AU)