Busca avançada
Ano de início
Entree

Aspectos funcionais e avaliação econômica de saúde da gestão de casos em um programa de prevenção de quedas para idosos caidores da comunidade: estudo clínico controlado randomizado

Resumo

Levando em consideração que as quedas são consideradas problemas de saúde pública e responsáveis por grande parte dos gastos da rede pública e privada de saúde com a população idosa, é importante promover medidas de prevenção de quedas em idosos. Uma das formas de intervenção para idosos caidores é a gestão de casos, baseada em uma intervenção multifatorial promissora, individualizada e baseada nos fatores de risco de quedas identificados. Nesse sentido, avaliar o impacto econômico, aspectos funcionais após uma intervenção de prevenção de quedas baseada na gestão de casos e obter maior conhecimento a respeito dos seus efeitos nas quedas e nos fatores de risco potencialmente modificáveis são de grande importância. Objetivo: Verificar os efeitos de uma intervenção de gestão de casos baseada na prevenção de quedas sobre os fatores de risco de quedas, nos aspectos funcionais (capacidade funcional, equilíbrio e dor) de idosos caidores da comunidade e a viabilidade econômica deste programa. Método: Trata-se de um ensaio clínico controlado randomizado, unicêntrico, grupo paralelo. Idosos da comunidade e com histórico de pelo menos duas quedas no último ano serão distribuídos em dois grupos (Grupo Intervenção e Grupo Controle). O Grupo Intervenção será submetido a uma gestão de casos para idosos caidores, que envolverá: avaliação multidimensional, explicação dos fatores de risco de quedas identificados para o idoso, realização de proposta de intervenção com base nos riscos identificados, elaboração de um plano de intervenção de quedas individualizado, realização, acompanhamento e revisão do plano de intervenção. Os gestores acompanharão o idoso no domicílio durante 16 semanas, 1 vez na semana. O Grupo Controle não realizará qualquer intervenção e será encorajado a manter sua rotina. Todos os voluntários realizarão a avaliação em quatro momentos (inicial, após 16 semanas de intervenção, após 6 semanas e 1 ano de seguimento). A avaliação inicial consistirá no levantamento dos dados clínicos e sociodemográficos, funções físicas (equilíbrio e mobilidade), funções mentais (cognição, depressão e medo de cair), risco e educação em quedas. Após 16 semanas de intervenção e após 6 semanas de seguimento, a mesma avaliação será realizada. Além disso, ao final da intervenção, os participantes responderão dois questionários, um de satisfação a intervenção e outro de aderência a intervenção. As quedas serão coletadas por meio de calendários e telefonemas mensais desde o início até 1 ano de seguimento. A questão econômica em saúde será avaliada após 1 ano de seguimento. Para as análises, será adotado um nível de significância de ± = 0,05 e para execução dos testes estatísticos será utilizado o software SPSS (22.0). A análise será realizada por intenção de tratamento. Resultados esperados: Espera-se que os participantes do Grupo Intervenção melhorem os fatores de risco, os aspectos funcionais e que o programa apresente viabilidade econômica favoráveis. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o auxílio:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)