Busca avançada
Ano de início
Entree

Aquicultura integrada no Horizon 2020: avaliação da capacidade de suporte e fisiologia de camarões, ostras e algas cultivados em um sistema multitrófico orgânico

Processo: 19/26801-6
Modalidade de apoio:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de agosto de 2021 - 31 de julho de 2023
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Recursos Pesqueiros e Engenharia de Pesca - Aquicultura
Pesquisador responsável:Alessandra da Silva Augusto
Beneficiário:Alessandra da Silva Augusto
Instituição Sede: Instituto de Biociências (IB-CLP). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus Experimental do Litoral Paulista. São Vicente , SP, Brasil
Pesquisadores associados:Guilherme Wolff Bueno ; Levi Pompermayer Machado ; Wagner Cotroni Valenti
Assunto(s):Maricultura  Osmorregulação  Metabolismo animal  Ecofisiologia animal  Balanço de energia  Mudança climática  Horizon 2020 
Palavra(s)-Chave do Pesquisador:Balanço Energético | Capacidade de Suporte | Maricultura | metabolismo | Mudanças Climáticas | Osmorregulação | Fisiologia

Resumo

Este projeto integra o Horizon 2020/Aquavitae, programa de pesquisa e inovação da União Europeia, e tem como objetivo avaliar os efeitos das mudanças climáticas em espécies de interesse para aquicultura e a capacidade de suporte de sistemas multitróficos realizados com essas espécies e o cultivo será realizado em viveiros da Fazenda Primar, participante do H2020 no Brasil e localizada em Tibau do Sul, RN. As espécies serão cultivadas em um sistema multitrófico integrado de camarões (Litopenaeus vannamei), ostras (Crassostrea gasar) e algas (a espécie será escolhida após experimentos pilotos). Os animais e algas serão cultivados em um dos quatro tratamentos: C4 = monocultivo de camarão 4/m2; C8 = monocultivo de camarão 8/m2; COA = camarão 4/m2, algas e ostras; COA = 8/m2, algas e ostras. A capacidade de suporte será avaliado por meio do consumo de oxigênio e excreção de nitrogênio e fósforo pelos animais e produção de oxigênio e absorção de amonia e fósforo pelas algas. Os efeitos da acidificação oceânica (pH 8,0 e 7,2), aumento da temperatura (20, 25, 30, 35 e 40oC) e variações de salinidade (25, 30, 35, 40 e 45S) serão avaliados no camarão L. vannamei por meio de uma malha de respostas fisiológicas (balanço energético, osmorregulaçao; índice hepatossomático e substrato energético oxidado) após exposição por 30 dias. Tais variações deverão ser enfrentadas pelas espécies cultivadas em viveiros sobre influência oceânica daqui a 100 anos (IPCC, 2013). Os resultados sobre a capacidade de suporte, além de ser um indicador ambiental, permitirá dimensionar as densidades de estocagem e biomassa de cada uma das espécies cultivadas. Adicionalmente, aspectos da fisiologia de L. vannamei exposto às situações previstas de mudanças climáticas fornecerá informações sobre os efeitos de tais mudanças em uma das espécies mais importantes para a aquicultura no mundo. De acordo com a FAO (2018) são necessárias pesquisas que aumentem a produtividade e a sustentabilidade da aquicultura, mas também são necessários estudos interligados que mostrem os efeitos das mudanças climáticas para as espécies cultiváveis e sua adaptabilidade a fim de planejarmos estratégias eficientes de mitigação. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o auxílio:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)