Busca avançada
Ano de início
Entree

Malvidina protege e repara úlceras pépticas em camundongos ao aliviar o estresse oxidativo e a inflamação

Resumo

Episódios de úlcera péptica causam danos ao estômago e intestino, com infiltração de células inflamatórias e estresse oxidativo como os principais fatores. Neste estudo, investigamos o potencial da antocianidina malvidina para o tratamento preventivo e curativo de úlceras pépticas. Os efeitos da antocianidina foram examinados em modelos de úlcera gástrica em camundongos induzidos por etanol, antiinflamatórios não esteroidais (AINEs), isquemia-reperfusão (IR), ácido acético e úlcera duodenal induzida por polifarmácia. Os níveis de expressão de genes oxidativos e inflamatórios foram medidos para investigar o mecanismo da atividade antocianina. Com uma dose de 5 mg.kg 1, a Malvidin preveniu a indução da úlcera gástrica por etanol, AINE e reparou o tecido após seis dias de IR. Além disso, a antocianidina acelerou a cicatrização da úlcera induzida pelo ácido acético, aumentou a expressão gênica de EGF e COX-1 e diminuiu a regulação da MMP-9. O tratamento com antocianina mitigou o efeito da polifarmácia na inflamação e no estresse oxidativo observado no intestino. Além disso, o composto regulou negativamente a expressão de citocinas e TLR4 e regulou positivamente HMOX-1 e IL-10, exibindo atividade protetora no intestino do camundongo. Assim, a malvidina preveniu úlceras gástricas e duodenais devido aos proeminentes efeitos antiinflamatórios e antioxidantes no trato gastrointestinal que estavam relacionados à modulação da expressão gênica e um aumento nos mecanismos de defesa endógenos. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o auxílio:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)