Busca avançada
Ano de início
Entree

SACRE: soluções integradas para cidades resilientes

Processo: 20/15434-0
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Temático
Vigência: 01 de outubro de 2021 - 30 de setembro de 2026
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Geociências - Geologia
Pesquisador responsável:Ricardo César Aoki Hirata
Beneficiário:Ricardo César Aoki Hirata
Instituição-sede: Instituto de Geociências (IGC). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Pesquisadores principais:
Jacinta Enzweiler ; Reginaldo Antonio Bertolo
Pesq. associados:Abraham Sin Oih Yu ; Alessandro Cesarino ; Alexandra Vieira Suhogusoff ; Ana Elisa Silva de Abreu ; Arisvaldo Vieira Méllo Júnior ; Carlos Tadeu de Carvalho Gamba ; Caroline Almeida Souza ; Claudia Luciana Varnier ; Claudio Augusto Oller do Nascimento ; David Leo Rudolph ; Décio Luis Semensatto Junior ; Edson Cezar Wendland ; Érica Aparecida Souza Silva ; Fabiano Fernandes Toffoli ; Fernando Augusto Saraiva ; José Luiz Albuquerque Filho ; Juliana Gardenalli de Freitas ; Letícia dos Santos Macedo ; Luciana Martin Rodrigues Ferreira ; Luiz Carlos Kauffman Marasco Ferrari ; Maria Cristina Machado Domingues ; Marilda Mendonça Guazzelli Ramos Vianna ; Mirian Chieko Shinzato ; Mitsuyo Saito ; Neil Robert Thomson ; Philippe van Cappellen ; PRISCILA IKEMATSU ; Ramón Osvaldo Aravena Cabrera ; René Peter Schneider ; Rodrigo Lilla Manzione ; Rosangela Calado da Costa ; Rosangela Pacini Modesto ; Roy Brouwer ; Shinichi Onodera ; Silvana Susko Marcellini ; Tatiana Luiz dos Santos Tavares ; Veridiana Teixeira de Souza Martins ; Yuta Shimizu
Assunto(s):Hidrogeologia  Águas subterrâneas  Segurança hídrica  Recarga de aquíferos  Poluição da água  Gestão de recursos hídricos  Abastecimento de água  Sistemas híbridos  Natureza  Rio Bauru  Rio Batalha 

Resumo

Entre 2013 e 2017, longos períodos de estiagem criaram uma crise no abastecimento de água que afetou 48% dos municípios brasileiros, causando graves problemas para a saúde pública, economia e meio ambiente. Soluções tradicionais, baseadas em sistemas centralizados de fonte-única de abastecimento de água, têm-se mostrado ineficazes no Brasil e em países em desenvolvimento. Assim, o principal objetivo deste projeto é o de criar novas soluções "híbridas hidroeconômicas", ou seja, aquelas que reduzam a vulnerabilidade no abastecimento em cidades e no campo e tratem águas contaminadas, a partir do uso integrado de métodos clássicos e inovadores de Engenharia, gestão e técnicas baseadas na natureza (Nature, Engineering and Management based Solutions, NE&MS). O desenvolvimento de métodos de remediação de aquíferos contaminados por fontes multipontuais e dispersas, com base em NE&MS, proporcionará avanços científicos inédito ao País e poderá gerar tecnologias patenteáveis. O trabalho está fundamentado na modelação de fluxo e transporte reativo em aquíferos (acoplado a modelo de água superficial); conceitos de alocação de recursos hídricos e uso conjuntivo de águas superficiais e subterrâneas; soluções de tratamento de águas subterrâneas de baixo custo (barreiras reativas, com foco no nitrato e contaminantes emergentes); recarga manejada de aquíferos (MAR); e sistemas híbridos de captação aquífero-rio (river bank filtration). Tais soluções serão avaliadas dentro de um novo arranjo administrativo de gestão de recurso hídrico, que levará em conta aspectos socioeconômicos, hábitos sociais dos usuários e "produtores públicos e privados de água", e as políticas de uso da terra. As soluções técnicas e de envolvimento institucional serão testadas de forma pioneira em um estudo nas cabeceiras das bacias hidrográficas dos rios Bauru-Batalha, onde se localizam parte dos municípios de Bauru, Piratininga e Agudos (SP). Toda a experiência científica interdisciplinar de ponta nas áreas de hidrogeologia, Engenharia Hidrológica, socioeconomia e governança hídrica, baseada no desenvolvimento e adaptação de NE&MS, permitirá criar uma plataforma digital hidroeconômica de múltiplas soluções que auxiliará na gestão dos recursos hídricos adequada às condições biofísicas e socioeconômicas do Estado de São Paulo. O Projeto SACRE ademais traz uma outra novidade, que é o envolvimento das principais lideranças institucionais na gestão dos recursos hídricos subterrâneos do País, incluindo universidades (USP, UNESP, UNICAMP e UNIFESP), agências de governo (Instituto Geológico, CETESB, IPT, SIMI), consorciadas às universidades de Waterloo (Canadá) e Hiroshima e Okayama (Japão), recebendo apoio formal do governo do Estado de São Paulo. Ao final do Projeto SACRE, um fórum permanente será criado e que apoiará a gestão das águas subterrâneas, através das agências governamentais parceiras. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o auxílio:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)