Busca avançada
Ano de início
Entree

Coorte de alto risco para transtornos psiquiátricos: seguimento de 10 anos

Processo: 21/05332-8
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Temático
Vigência: 01 de fevereiro de 2022 - 31 de janeiro de 2027
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Psiquiatria
Pesquisador responsável:Rodrigo Affonseca Bressan
Beneficiário:Rodrigo Affonseca Bressan
Instituição-sede: Escola Paulista de Medicina (EPM). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus São Paulo. São Paulo , SP, Brasil
Pesquisadores principais:
João Ricardo Sato ; Síntia Iole Nogueira Belangero
Pesq. associados: André Zugman ; Arthur Caye ; Ary Gadelha de Alencar Araripe Neto ; Carolina Cappi ; Carolina Muniz Felix de Carvalho ; Douglas Teixeira Leffa ; Eurípedes Constantino Miguel Filho ; Giovanni Abrahão Salum Júnior ; Jair de Jesus Mari ; Luis Augusto Paim Rohde ; Marcelo Camargo Batistuzzo ; Marcelo Queiroz Hoexter ; Marcos Leite Santoro ; Mauricio Scopel Hoffmann ; Nicolas Andres Crossley Karmelic ; Pedro Mario Pan Neto ; Roseli Gedanke Shavitt ; Síntia Iole Nogueira Belangero ; Vanessa Kiyomi Ota Kuniyoshi
Bolsa(s) vinculada(s):22/07782-3 - Avaliação de neurodesenvolvimento infantil por meio de neuroimagens e modelos de redes neurais profundas, BP.DD
Assunto(s):Genética  Neuroimagem  Transtornos mentais  Prevenção  Estudos de coortes 
Palavra(s)-Chave do Pesquisador:Alto Risco | genética | neuroimagem | prevenção | Transtornos mentais | Psiquiatria do desenvolvimento

Resumo

Os transtornos psiquiátricos estão entre as maiores causas de incapacitação sócio-ocupacional em países ocidentais e o seu impacto cresce a cada ano. A maioria desses transtornos psiquiátricos inicia-se na infância ou na adolescência, sendo que cerca de uma em cada dez crianças em todo o mundo possui um diagnóstico de um transtorno psiquiátrico. No entanto, pouco investimento em pesquisa é destinado para o estudo de transtornos mentais nessa faixa etária. Sabe-se muito pouco acerca dos fatores de risco e proteção nas trajetórias relacionadas à origem e ao curso desses transtornos. A investigação dessas trajetórias pode trazer avanços importantes no tratamento e, principalmente, na prevenção desses transtornos. Foram entrevistadas 9,957 famílias oriundas de 57 escolas de Porto Alegre e São Paulo. Dessas famílias, 2511 participantes foram selecionados na linha de base (2010-2011), quando informações a seu respeito e de seus familiares foram coletadas, em especial pais e irmãos. Cerca de 2000 participantes foram reavaliados três anos depois e 1800 seis anos depois. O presente projeto planeja apresentar os objetivos, métodos e justificativa para a reavaliação desses participantes no seguimento de 10 anos. O objetivo principal deste projeto é buscar informações ambientais, genéticas, neuropsicológicas e de neuroimagem da coorte supramencionada no intuito de investigar a trajetória normal e anormal do neurodesenvolvimento, além de investigar fatores de risco e de proteção que possam estar relacionados com desfechos relacionados à saúde mental na infância, adolescência e início da vida adulta. Pretende-se com este projeto gerar conhecimento sobre vias neurobiológicas do desenvolvimento típico e atípico e identificar e validar preditores capazes de informar critérios de risco para avançar nas estratégias de prevenção em saúde mental. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o auxílio:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)