Busca avançada
Ano de início
Entree

Perfil sorológico, epidemiológico e genético de Toxoplasma gondii a partir de tecidos reprodutivos de cães e gatos

Processo: 20/03972-7
Modalidade de apoio:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de março de 2022 - 28 de fevereiro de 2025
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Parasitologia - Protozoologia de Parasitos
Pesquisador responsável:Cinara de Cássia Brandão
Beneficiário:Cinara de Cássia Brandão
Instituição Sede: Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto (FAMERP). Secretaria de Desenvolvimento Econômico (São Paulo - Estado). São José do Rio Preto , SP, Brasil
Pesquisadores associados:Fernando Henrique Antunes Murata ; Luiz Carlos de Mattos
Bolsa(s) vinculada(s):22/08270-6 - Genotipagem de Toxoplasma gondii isolado em tecidos reprodutivos de cães e gatos, BP.TT
Assunto(s):Doenças transmissíveis  Toxoplasmose  Toxoplasma gondii  Gatos  Cães  Análise do polimorfismo de comprimento de fragmentos amplificados  Sequenciamento de nova geração 
Palavra(s)-Chave do Pesquisador:Genótipos de Toxoplasma gondii | Isolamento de Toxoplasma gondii | Pcr-Rflp | sequenciamento de nova geração | Tecidos Reprodutivos | Toxoplasma gondii | Doenças infecciosas e parasitárias

Resumo

Toxoplasmose é uma doença causada pelo protozoário Toxoplasma gondii. A presença de gatos é um fator determinante para a ocorrência da toxoplasmose, que juntamente com cães, servem de indicadores de contaminação ambiental por T. gondii, especialmente pela proximidade com humanos. Demonstrações deste parasito em tecidos reprodutivos (fêmeas e machos) de animais (testículos, ovários e útero), são inconclusivas e ainda carecem de maiores esclarecimentos. Tais tecidos são excelentes materiais biológicos para análises no sentido de se determinar o diagnóstico da infecção bem como para se conhecer a prevalência da toxoplasmose em áreas com maior índice de ocorrência de T. gondii. Os objetivos deste estudo são: 1. determinar a prevalência de anticorpos anti-T. gondii (IgG e IgM) em gatos e cães submetidos à esterilização, no Centro de Zoonoses de São José do Rio Preto; 2. isolar T. gondii dos tecidos reprodutivos por meio de bioensaio em camundongos e cultura de células; 3. genotipar, por meio de microssatélites e PCR-RFLP e sequenciamento de próxima geração (NGS), os isolados de T. gondii obtidos; 4. geocodificar os endereços dos animais com vistas a determinar áreas de risco. Amostras de sangue serão coletadas por punção da veia jugular, cefálica ou safena com os animais sob anestesia, para obtenção do soro e avaliação sorológica por teste de aglutinação modificada (MAT). Macerados de testículo, útero e ovário serão utilizados em bioensaios com camundongos Balb C de ambos os sexos, para obtenção de isolados de T. gondii. Os isolados obtidos serão avaliados para caracterização genômica por PCR-RFLP, por meio de 11 marcadores distintos: SAG1, SAG2, SAG3, BTUB, GRA6, c22-8, c29-2, L358, PK1, Apico e CS3. A geocodificação utilizará dados epidemiológicos dos animais (sexo, idade e bairro em que habita) para se determinar potenciais áreas de prevalência da infecção e da doença bem como da contaminação ambiental. Os resultados poderão contribuir para a caracterização de cepas de T. gondii em animais domesticados bem como naqueles de rua e favorecer a identificação e a caracterização da infecção ambiental e dos riscos. A caracterização genômica dos isolados poderão auxiliar a identificação de indicadores de virulência do T. gondii, bem como estabelecer potenciais relações com a infecção em humanos, incluindo cuidadores e tutores de animais de rua. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o auxílio:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)