Busca avançada
Ano de início
Entree

Acetilcolina, ácidos graxos e mediadores lipídicos estão ligados à gravidade do COVID-19

Processo: 22/07871-6
Modalidade de apoio:Auxílio à Pesquisa - Publicações científicas - Artigo
Vigência: 01 de agosto de 2022 - 31 de janeiro de 2023
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Imunologia - Imunologia Aplicada
Pesquisador responsável:Lúcia Helena Faccioli
Beneficiário:Lúcia Helena Faccioli
Instituição Sede: Faculdade de Ciências Farmacêuticas de Ribeirão Preto (FCFRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:20/05207-6 - Avaliação prospectiva da produção de mediadores lipídicos na resposta imune contra COVID-19: busca de biomarcadores e novos alvos terapêuticos na evolução da doença, AP.R
Assunto(s):Acetilcolina  COVID-19  Mediadores lipídicos 
Palavra(s)-Chave do Pesquisador:acetylcholine | Covid-19 | fatty acid | glucocorticoid therapy | lipid mediators | mediadores lipidicos

Resumo

Mediadores lipídicos e colinérgicos são reguladores inflamatórios, mas seu papel na imunopatologia do COVID-19 ainda não está claro. Aqui, usamos sangue humano e aspirado traqueal (AT) para investigar se a acetilcolina (ACh), ácidos graxos (FA) e seus mediadores lipídicos derivados (LM) estão associados à gravidade da COVID-19. Primeiramente, analisamos o perfil de perturbação induzida pela infecção por SARS-CoV-2 no perfil transcricional de genes relacionados às vias ACh e FA/LM. Sangue e AT foram usados para análises metabolômicas e lipidômicas, e quantificação de leucócitos, citocinas e ACh. Os dados de expressão diferencial e de rede gênica de co-expressão revelaram um perfil transcricional único associado à produção, liberação e sinalização celular de ACh e FA/LM. Os dados transcriptômicos foram corroborados por achados laboratoriais: a infecção por SARS-CoV-2 aumentou os níveis plasmáticos e de TA de ácido araquidônico (AA), ácido 5-hidroxi-6E,8Z,11Z,14Z-eicosatetraenoico (5-HETE), 11-hidroxi- ácido 5Z,8Z,12E,14Z-eicosatetraenóico (11-HETE) e ACh. As amostras de TA também exibiram altos níveis de PGE2, tromboxano B2 (TXB2), ácido 12-oxo-5Z,8Z,10E,14Z-eicosatetraenoico (12-oxo-ETE) e 6-trans-leucotrieno B4 (6-trans-LTB4) . A bioinformática e as abordagens experimentais demonstraram uma correlação robusta entre o perfil transcricional nas vias ACh e FA/LM e parâmetros de COVID-19 grave. Como esperado, o aumento da proporção de neutrófilos para linfócitos, contagens de neutrófilos e níveis de citocinas (IL-6, IL-10, IL-1B e IL-8) se correlacionaram com piores pontuações clínicas. Os glicocorticóides protegeram pacientes graves e críticos e se correlacionaram com níveis reduzidos de ACh em amostras de plasma e AT. Demonstramos que a hiperinflamação pulmonar e sistêmica em COVID-19 grave está associada a altos níveis de ACh e FA/LM. Os glicocorticóides favoreceram a sobrevida de pacientes graves/críticos, e esse efeito foi associado à redução dos níveis de ACh. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o auxílio:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)