Busca avançada
Ano de início
Entree

Alto Estresse Percebido como um Preditor Independente para baixo Uso da Emoção - Focada em Estratégias de Enfrentamento em Indivíduos Hipertensos

Processo: 22/07882-8
Modalidade de apoio:Auxílio à Pesquisa - Publicações científicas - Artigo
Vigência: 01 de agosto de 2022 - 31 de janeiro de 2023
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Psicologia - Psicologia Cognitiva
Pesquisador responsável:Maria Claudia Costa Irigoyen
Beneficiário:Maria Claudia Costa Irigoyen
Instituição Sede: Instituto do Coração Professor Euryclides de Jesus Zerbini (INCOR). Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP (HCFMUSP). Secretaria da Saúde (São Paulo - Estado). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Função executiva  Qualidade de vida  Neuropsicologia 
Palavra(s)-Chave do Pesquisador:estresse percebido | função executiva | Qualidade De Vida | Neuropsicologia

Resumo

Introdução: Indivíduos com altos escores de estresse percebido (PS) são mais propensos a desenvolver hipertensão arterial (HA) do que aqueles com baixos níveis de estresse. Além disso, HA e estresse são fatores de risco independentes para comprometimento da função executiva (FE) e pior qualidade de vida (QV). Portanto, estratégias para controlar e lidar com o estresse emocional são de suma importância. No entanto, pouco se sabe sobre a associação de PS com FE, QV e enfrentamento em indivíduos com hipertensão. Este estudo teve como objetivo avaliar a associação do PS com o desempenho da FE, uso de estratégias de enfrentamento e QV em uma amostra de pacientes hipertensos. Métodos: Avaliamos um grupo de 45 indivíduos hipertensos (média de idade = 58,42 ± 8,9 anos, 71,11% do sexo feminino). A avaliação da FE foi: Bateria de Avaliação Frontal; Teste de Associação de Palavras Orais Controladas-FAS; Subteste de Seqüência de Letras-Números da Escala Wechsler de Inteligência para Adultos - Terceira Edição (WAIS-III); Subteste Digit Span do Wechsler Memory Scale-Revised (WMS-R) e Wisconsin Card Sorting Test. O tipo e a frequência das estratégias de enfrentamento utilizadas foram medidos pela Escala Breve de Enfrentamento com Problemas Experientes (Brief-COPE). O Questionário de Qualidade de Vida da Organização Mundial da Saúde Bref (WHOQOL-bref) foi aplicado para medir a QV. As associações do PS com o desempenho da FE, estratégias de enfrentamento e QV foram investigadas usando modelos de regressão linear univariada e múltipla ajustados para idade, sexo, escolaridade, pressão sistólica e sintomas de depressão.Resultados: Nas análises multivariadas, maior PS foi um preditor independente para menor frequência de uso de estratégia focada na emoção (² = 0,23; p = 0,03). No entanto, PS não foi significativamente relacionado com FE e QV nesta amostra. Quanto menor o PS, maior o uso de enfrentamento focado na emoção.Conclusão: Indivíduos hipertensos com alta PS utilizam com menos frequência estratégias de enfrentamento focadas na emoção positiva. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o auxílio:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)