Busca avançada
Ano de início
Entree

Eco-epidemiologia de doenças infecciosas em paisagens da Região Amazônica sob efeito de desmatamento: implicações na saúde única

Processo: 22/10392-2
Modalidade de apoio:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de fevereiro de 2023 - 31 de janeiro de 2026
Área do conhecimento:Interdisciplinar
Convênio/Acordo: CONFAP - Conselho Nacional das Fundações Estaduais de Amparo à Pesquisa
Pesquisador responsável:Marcia Aparecida Speranca
Beneficiário:Marcia Aparecida Speranca
Instituição Sede: Centro de Ciências Naturais e Humanas (CCNH). Universidade Federal do ABC (UFABC). Ministério da Educação (Brasil). Santo André , SP, Brasil
Pesquisadores associados:Fredy Galvis Ovallos ; Gabriel Zorello Laporta
Assunto(s):Ecoepidemiologia  Saúde Única  Malária  Doença de Chagas  Leishmaniose  Infecções por Arbovirus  SARS-CoV-2  Trypanosomatidae  Amazônia 
Palavra(s)-Chave do Pesquisador:Arboviroses | Epidemiologia | Paisagens com padrão de degradação ambiental | SARS-CoV-2 | Saúde Única | Trypanosomatidae | Eco epidemiologia

Resumo

Os movimentos antropogênicos resultam em modificações do habitat natural silvestre, como a destruição de áreas florestais, a introdução de animais domésticos e a improvisação de condições de saneamento. Estas modificações, associadas ao aquecimento global, podem propiciar a proliferação descontrolada e a dispersão de artrópodes vetores de doenças infecciosas, como a Malária, a Doença de Chagas, a Leishmaniose e as Arboviroses. Como resultado da diversidade de Biomas essas doenças ocorrem de forma regional, isoladamente ou em conjunto e serão objetos de estudo a ser realizado no município de Cruzeiro do Sul, no Acre (área de assentamento da Região Amazônica sob efeito de desmatamento). Este projeto será complementar ao estudo em andamento financiado pela FAPESP (processo 2021/06669-6) que investiga a ocorrência de parasitas causadores da Malária, Leishmaniose e Doença de Chagas na população humana e de artrópodes, em 30 paisagens da região, com diferentes padrões de desmatamento. Neste projeto, a população humana e de artrópodes das mesmas paisagens de Cruzeiro do Sul, serão investigadas quanto a presença de Arboviroses e a ocorrência de SARS-CoV-2. Para complementar as relações eco-epidemiológicas dos agentes infecciosos, serão coletadas amostras de animais domésticos e peridomésticos (cães, gatos, equinos, bovinos e caprinos), nos quais todos os grupos de patógenos incluídos no estudo de Cruzeiro do Sul, serão investigados. A detecção dos patógenos será realizada por amplificação de segmentos genômicos que permitem a identificação taxonômica e a investigação da diversidade genética associada a características patológicas dos agentes infecciosos, por PCR ou RT/PCR, seguido de sequenciamento. Para cada grupo de patógenos serão determinadas as relações eco-epidemiológicas e evolutivas por métodos estatísticos de acordo com os dados obtidos. Com os resultados pretende-se contribuir com a prevenção e controle de doenças infecciosas, além da identificação de novos agentes infecciosos, hospedeiros vertebrados e vetores artrópodes de importância em saúde única. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o auxílio:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)