Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeitos do aquecimento do Atlântico Sul sobre a precipitação Sul-Americana

Processo: 22/02957-0
Modalidade de apoio:Auxílio à Pesquisa - Projeto Inicial
Vigência: 01 de fevereiro de 2023 - 31 de janeiro de 2028
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Geociências
Pesquisador responsável:Vinícius Ribau Mendes
Beneficiário:Vinícius Ribau Mendes
Instituição Sede: Instituto do Mar (IMar). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus Baixada Santista. Santos , SP, Brasil
Pesquisadores associados:Ana Luiza Spadano Albuquerque ; André Oliveira Sawakuchi ; Cristiano Mazur Chiessi ; Francisco Júlio do Nascimento ; Marilia Harumi Shimizu ; Rene Rojas Rocca
Assunto(s):Paleoclimatologia  Isótopos estáveis  Mudança climática  Aquecimento global  Salinidade do mar  Luminescência  Temperatura da superfície do mar  Precipitação atmosférica  Atlântico Sul 
Palavra(s)-Chave do Pesquisador:Indicadores de precipitação | isotopos estáveis | Mudanças Climáticas | Salinidade de superfície do mar | Sensibilidade à luminescência | Temperatura de Supérficie do Mar | Paleoclimatologia

Resumo

A precipitação é indiscutivelmente um dos principais fatores controladores da vida na Terra. Da produção de alimentos à disponibilidade de água para consumo humano direto, mudanças nos padrões de precipitação podem levar a ruptura social e significativas perdas econômicas. Descobertas recentes apontam para uma possível redução na intensidade da Célula de Revolvimento Meridional do Atlântico como resultado das emissões antrópicas de gases de efeito estufa. Tal redução levaria ao aquecimento do Atlântico Sul e consequentemente, a mudanças na precipitação continental. Propomos determinar os efeitos do aquecimento do Atlântico Sul sobre a precipitação sul-americana, tema fortemente debatido e atual: enquanto algumas evidências apontam para um aumento generalizado na precipitação sul-americana tropical decorrente da reduzida circulação oceânica, outras sugerem aumento em áreas restritas do continente. Portanto, a reconstrução abrangente das mudanças na precipitação durante tais condições é urgentemente necessária para entender as mudanças em curso e futuras na precipitação. Vamos reconstruir a precipitação sul-americana durante os dois últimos milênios com resolução temporal e espacial sem precedentes. Para tal fim, vamos usar excelentes indicadores de precipitação (e.g., isótopos de hidrogênio em cera de folhas e sensibilidade à luminescência de quartzo) em um conjunto de testemunhos marinhos coletados na margem equatorial, tropical e sub tropical da América do Sul. A alta resolução das análises de luminescência será atingida por meio da construção de um escâner de luminescência. Em seguida, será verificado qual modelo climático melhor reproduz as mudanças reconstruídas na precipitação, essa validação com dados amostrais é crucial para o aumento da confiabilidade dos modelos. Os resultados obtidos poderão subsidiar a elaboração de estratégias de adaptação às mudanças climáticas mais eficientes. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Revista Pesquisa FAPESP sobre o auxílio::
Expedição percorre o Atlântico Sul para desvendar o clima do planeta 
Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o auxílio:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)