Busca avançada
Ano de início
Entree

Produção de biocurativos 3D de poli(ácido láctico) (pla) usando processo de eletrofiação e rotofiação e desenvolvimento nacional de aplicador de eletrofiação portátil

Processo: 22/10500-0
Modalidade de apoio:Auxílio à Pesquisa - Pesquisa Inovativa em Pequenas Empresas - PIPE
Vigência: 01 de fevereiro de 2023 - 31 de outubro de 2023
Área do conhecimento:Engenharias - Engenharia Química - Tecnologia Química
Pesquisador responsável:Ana Flávia Pattaro
Beneficiário:Ana Flávia Pattaro
Empresa Sede:Dermbio Biotech Ltda
CNAE: Fabricação de artefatos de material plástico não especificados anteriormente
Município: Campinas
Pesquisadores associados:André Luiz Jardini Munhoz ; Juliana Otavia Bahú ; Maria Ingrid Rocha Barbosa Schiavon ; Paulo Kharmandayan ; Rubens Maciel Filho ; Viktor Oswaldo Cardenas Concha
Bolsa(s) vinculada(s):23/04921-5 - Desenvolvimento nacional de aplicador de eletrofiação portátil, BP.TT
23/04864-1 - Produção de biocurativos 3D de poli (ácido láctico) (PLA) usando processo de eletrofiação e rotofiação e desenvolvimento nacional de aplicador de eletrofiação portátil, BP.PIPE
Assunto(s):Polímeros  Curativos biológicos  Ácido láctico  Eletrofiação  Cicatrização  Ferimentos e lesões 
Palavra(s)-Chave do Pesquisador:Biocurativos | Poli(ácido láctico) | Polímeros | Polímeros

Resumo

No Brasil temos cerca de 5 milhões de pacientes portadores de feridas crônicas por causas diversas, tornando-se um grande problema de saúde pública e econômico quando não tratadas adequadamente, podendo ocasionar amputações e, em alguns casos, morte, dependendo da lesão existente. Grande parte do tratamento destinado ao manejo destas lesões aborda o enxerto de pele autóloga no lugar do ferimento. Contudo, soluções mais acessíveis têm sido buscadas para encontrar terapias que reduzam, previnam e/ou minimizem os riscos de complicações decorrentes do manejo inadequado dessas lesões, oferecendo cicatrização rápida de forma funcional e esteticamente satisfatória. Mediante a pandemia de COVID-19, vimos a fragilidade do nosso sistema de saúde, com grande dependência de importação de insumos hospitalares, bem como o risco de contaminação de pacientes vulneráveis, que poderiam, em muitas ocasiões, passar por um processo de recuperação doméstico, mediante ações terapêuticas eficientes e de fácil manejo. Muitos pacientes não aceitam os tratamentos convencionais e estão ansiosos por soluções que diminuam a dor e o tempo de tratamento das feridas. Nesse cenário, os biocurativos despontam como opções inovadoras para tratamento desses pacientes. Visando este mercado potencial, desenvolveremos soluções nacionais e de fácil acesso para promover a recuperação rápida de pacientes acometidos por lesões crônicas, apresentando uma terapia capaz de devolver/recuperar a qualidade de vida desses pacientes, social e economicamente. A FASE 1 deste projeto viabilizará a produção de biocurativos 3D produzidos a partir de polímeros biorreabsorvíveis derivados de ácido láctico (AL), o Poli (ácido láctico) (PLA), poliéster alifático com característica inerentemente biocompatível. Neste projeto, a síntese do PLA será realizada uma vez que os pesquisadores da equipe detêm o "know how" e patente concedida pelo INPI, sendo este um fator importante na precificação do produto final e entrada no mercado pretendido. Quando o AL for derivado de fontes renováveis se torna um produto muito adequado para aplicações na área da saúde. O PLA tem se destacado em várias aplicações na área médica (sistemas de drug delivery, implantes e scaffolds), quando sintetizados em condições favoráveis, em termos de biorreabsorção e bioatividade, desempenhando funções específicas e regenerando tecidos por meio da interação com as células. Para garantir as características necessárias, como apresentar estrutura altamente porosa e, ao mesmo tempo, atuar como uma barreira à água, os biocurativos 3D em PLA serão confeccionados, utilizando as técnicas de eletrofiação e rotofiação convencional, bem como desenvolver um aplicador de eletrofiação portátil. Este ponto específico da proposta, terá como foco o desenvolvimento nacional de um aplicador de eletrofiação portátil, promovendo a aplicação rápida e direta do biocurativo no paciente durante tratamento ou no momento de uma cirurgia, por exemplo, de forma a maximizar a potencialidade e eficiência do biocurativo 3D. Para obtenção dos biocurativos 3D, os polímeros serão sintetizados por meio de uma rota de produção limpa, sem uso de solventes ou reagentes potencialmente tóxicos, "know how" da equipe envolvida no projeto, garantindo independência tecnológica ou de mercado para obtenção da matéria-prima. Com isso, viabiliza-se produtos nacionais, de menor custo e eficiência compatível com os disponíveis no mercado, além da inovação tecnológica da aplicação direta do curativo eletrofiado sobre a ferida. Para as aplicações em que necessitam de um volume maior de biocurativo (larga escala) a tecnologia de rotofiação será capaz de produzir maior quantidade do produto, para atender estas demandas. Com estas tecnologias de produção de biocurativos, esperamos a obtenção de biocurativos 3D em PLA capazes de viabilizar, em um curto espaço de tempo, a cicatrização de feridas crônicas. Testes de avaliação biológicas (in vitro) serão realizados para estudo de v (AU)

Matéria(s) publicada(s) no Pesquisa para Inovação FAPESP sobre o auxílio:
Treinamento busca ajudar startup a se tornar um negócio lucrativo 
Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o auxílio:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)