Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudo da interação vírus-vetor e dos mecanismos envolvidos na modulação da dinâmica de transmissão viral

Resumo

Os arbovírus constituem um dos mais diversos grupos de vírus de RNA, os quais são majoritariamente transmitidos por insetos hematófagos, destacando-se mosquitos do gênero Aedes. Na América do Sul, o Brasil é considerado um epicentro para arboviroses emergentes e re-emergentes, uma vez que surtos e/ou epidemias de DENV1-4, YFV, MAYV, ROCV, SLEV, OROV, CHIKV e ZIKV já foram reportadas. A disseminação dessas doenças está amplamente associada a fatores que contribuem para sua dispersão, bem como a características intrínsecas ao vetor capazes de influenciar na sua competência vetorial e, consequentemente, na disseminação das arboviroses. Portanto, este estudo visa investigar os principais mecanismos de interação vírus-vetor-hospedeiro responsáveis pela ampla disseminação das doenças, a fim de fornecer evidências de como proceder diante de epidemias recorrentes por arboviroses, que impactam significativamente a saúde pública diversos municípios brasileiros, como São José do Rio Preto (SJRP). São José do Rio Preto é um município paulista, localizado na região noroeste do estado, acometido por frequentes epidemias de DENV. O DENV foi introduzido em SJRP em 1990 e a partir de então, grandes epidemias foram observadas em 2010, 2013, 2015, 2016 e 2019. Ademais, a cidade tem registros de circulação de outras arboviroses como ZIKV e CHIKV, embora epidemias nunca tenham sido observadas até o momento, o que é facilitado pelos altos índices de infestação vetorial já reportados. Diante desse cenário, a hipótese do presente estudo é que diferentes fatores relacionados à biologia vetorial estão afetando a dinâmica de transmissão de arboviroses em SJRP, e influenciando diretamente as recorrentes epidemias de DENV, bem como a ausência de surtos de ZIKV e CHIKV, apesar de evidências mostrarem a circulação ativa desses vírus em humanos, primatas e mosquitos. Portanto, os objetivos a serem respondidos neste estudo compreendem fatores associados a competência vetorial, a qual está amplamente ligada a variabilidade genética de determinadas populações de mosquitos; o fitness viral, que é dependente da linhagem circulante em uma determinada região; o microbioma vetorial e fatores relacionados à persistência da infecção viral no vetor, as quais podem ser modulados pela expressão gênica e regulação da replicação viral, contribuindo para a manutenção da circulação viral em períodos desfavoráveis. Para isso, realizaremos sucessivas coletas de culicídeos, tanto de ovos quanto de adultos, em três diferentes áreas, urbana, peri-urbana e silvestre. A partir das coletas, colônias de mosquitos Aedes nativos de SJRP serão estabelecidas e mantidas em insetário, para que, posteriormente, sejam realizados experimentos de competência vetorial, da influência da presença de diferentes microrganismos e ISVs na replicação de arbovírus, além de ensaios de fitness viral, expressão gênica e regulação da replicação viral por meio de microRNAs. Com a coleta de exemplares adultos, iremos realizar experimentos para identificação dos arbovírus circulantes e ISVs e estudos de variabilidade genética populacional. Ensaios de biologia molecular, isolamento viral em cultura celular e sequenciamento genômico das linhagens circulantes na cidade serão realizados. Ao propor este projeto de pesquisa esperamos responder quais são os principais fatores, intrínsecos e extrínsecos, nas diferentes populações de Aedes nativos do município que apresentam capacidade de alterar a competência vetorial. Esses resultados serão associados à diversidade genética das populações de mosquitos com a dinâmica de transmissão dos arbovírus, tentando assim elucidar os mecanismos de fluxo gênico e fitness replicativo ao qual estes vírus são expostos no vetor. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o auxílio:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)