Busca avançada
Ano de início
Entree

Cultivos 3D para comprender as interações parasita - hospedeiro.

Processo: 23/06066-5
Modalidade de apoio:Auxílio à Pesquisa - Pesquisador Visitante - Internacional
Vigência: 15 de fevereiro de 2024 - 14 de março de 2024
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Parasitologia - Protozoologia de Parasitos
Pesquisador responsável:Ariel Mariano Silber
Beneficiário:Ariel Mariano Silber
Pesquisador visitante: Valeria Sonia Tekiel
Inst. do pesquisador visitante: Consejo Nacional de Investigaciones Científicas y Técnicas (CONICET), Argentina
Instituição Sede: Instituto de Ciências Biomédicas (ICB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:21/12938-0 - O metabolismo de aminoácidos em Trypanosoma cruzi: uma caixa de ferramentas para sobreviver em ambientes hostis, AP.TEM
Assunto(s):Bioenergética  Organoides 
Palavra(s)-Chave do Pesquisador:bioenergética | culturas celulares 3D | Organóides | Trypanosomatídeos | Bioquimica e biologia molecular de protistas

Resumo

O Trypanosoma cruzi, agente etiológico da doença de Chagas, produz uma doença crônica cujos sintomas geralmente aparecem dez ou mais anos após a infecção inicial. No entanto, a colonização dos diferentes tecidos-alvo pelo parasito é um evento que ocorre durante o início da infecção, quando os tripomastigotas circulantes na corrente sanguínea se disseminam para os diferentes órgãos. Portanto, o conhecimento do processo de disseminação do parasito que leva à invasão dos tecidos-alvo é de suma importância, podendo ser a pista para o desenvolvimento de estratégias alternativas de controle da infecção e/ou prevenção da doença. A forma como o T. cruzi transmigra e se espalha nos tecidos é praticamente inexplorada e foi objeto de pesquisas no laboratório do Dr. Tekiel nos últimos anos. O desenvolvimento de culturas que se assemelham a ambientes fisiológicos, como as culturas de esferóides 3D, representam um modelo preciso para reproduzir in vitro as condições encontradas pelos tripomastigotas in vivo, que não podem ser semelhantes às culturas em monocamada. Ao empregar este modelo, demonstramos que existe uma ligação entre a profundidade de disseminação de parasitas em esferoides (ou seja, sua capacidade de transmigrar) e a virulência in vivo de diferentes cepas de T. cruzi, sugerindo que a maior virulência de certas cepas pode ser relacionada à sua melhor capacidade de transmigrar eficientemente através da matriz extracelular e dos tecidos. A capacidade de transmigração parece ser uma característica intrínseca de cada linhagem que depende de vários fatores, incluindo a expressão diferencial de proteínas de membrana e da motilidade do parasita. Estando a motilidade do parasita intimamente relacionada com o metabolismo energético, uma hipótese atual é que diferentes vias bioquímicas podem ser reguladas diferencialmente em cepas virulentas e não virulentas. O principal objetivo da visita proposta do Dr. Tekiel ao laboratório do Dr. Silber é transferir o modelo de cultura 3D de esferoides, que é uma plataforma poderosa para estudar a interação hospedeiro-parasita. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o auxílio:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)