Busca avançada
Ano de início
Entree

Diferenciação de iPSC derivadas de células-tronco de dentes decíduos esfoliados humanos em neurônios sensoriais periféricos

Processo: 24/00012-3
Modalidade de apoio:Auxílio à Pesquisa - Publicações científicas - Artigo
Vigência: 01 de abril de 2024 - 30 de setembro de 2024
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Morfologia - Citologia e Biologia Celular
Pesquisador responsável:Patricia Cristina Baleeiro Beltrão Braga
Beneficiário:Patricia Cristina Baleeiro Beltrão Braga
Instituição Sede: Instituto de Ciências Biomédicas (ICB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Células-tronco pluripotentes induzidas  Neurobiologia 
Palavra(s)-Chave do Pesquisador:differentiation | iPSC | Neural Crest Cell | Peripheral nervous system | Peripheral Sensory Neuron | shed | neurobiologia

Resumo

Alterações sensoriais do sistema nervoso periférico (SNP) estão presentes em váriaspatologias e síndromes. A produção de neurônios sensoriais a partir de células-tronco pluripotentes induzidas (iPSC) em pacientes com sintomas sensoriais é uma estratégia importante. A tecnologia iPSC depende da manipulação de vias de sinalização para se assemelhar ao que ocorre in vivo, e sabe-se que as iPSCs carregam uma memória transcricional após a reprogramação, que pode afetar a célula produzida. Até o momento, os protocolos descritos para produção de neurônios usaram iPSCs derivadas de fibroblastos da pele, que têm a mesma origem ontogenética do sistema nervoso central (SNC). Como já se sabe, as células de alguma forma se assemelham à sua origem, mesmo após a reprogramação celular, sendo assim as células do SNP deveriam ser produzidas a partir de células derivadas da crista neural. Este trabalho teve como objetivo estabelecer um protocolo para diferenciarneurônios derivados de células-tronco de dentes decíduos esfoliados humanos (SHED)com a mesma origem embrionária do SNP. iPSCs derivadas de SHED foram produzidase submetidas à diferenciação de neurônios sensoriais periféricos (PSN). Nosso protocoloutilizou o método de inibição dual-SMAD, seguido de diferenciação neuronal,usando fatores neurotróficos artificiais e moléculas produzidas por queratinócitos humanos. Estabelecemos com sucesso o primeiro protocolo para diferenciarcélulas do SNP a partir de iPSCs derivados de SHED, permitindo estudos futuros de patologias do SNP. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o auxílio:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)