Busca avançada
Ano de início
Entree

Capitalismo canábico: a exploração da América Latina pelas corporações transnacionais

Processo: 24/00190-9
Modalidade de apoio:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de maio de 2024 - 30 de abril de 2026
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Ciência Política - Política Internacional
Pesquisador responsável:Paulo José dos Reis Pereira
Beneficiário:Paulo José dos Reis Pereira
Instituição Sede: Faculdade de Ciências Sociais. Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP). São Paulo , SP, Brasil
Pesquisadores associados: Kojo Koram ; Manuela Trindade Viana ; Priscila Villela ; Robert Chlala
Assunto(s):América Latina  Brasil  Cannabis  Capitalismo 
Palavra(s)-Chave do Pesquisador:América Latina | Brasil | Cannabis | capitalismo | controle internacional das drogas | Corporações transnacionais | Integração internacional, conflito, guerra e paz

Resumo

A cannabis, uma planta psicoativa proscrita pelo sistema internacional de controle de drogas ao longo do século XX, tem se tornado uma mercadoria legal em variados países e entidades federativas, principalmente no continente americano, seja para o uso industrial, medicinal e mesmo recreativo. Essa mudança no status legal da cannabis tem feito emergir um mercado internacional bilionário. Tal interesse capitalista pode ser definido pelo termo "capitalismo canábico", um processo de mercantilização da cannabis que promove a criação de novos espaços sociais para a sua produção, comercialização e consumo, além da emergência de novos atores com interesses particulares. As corporações que comercializam diversos produtos de cannabis, muitas delas estruturadas em países do Norte Global, como Estados Unidos e Canadá, mas com atuação transnacional, são atores fundamentais nesse novo espaço social. Elas têm como orientação comum a maximização dos seus ganhos. Para tanto, lançam mão de diversos mecanismos já utilizados em outros mercados, de forma influenciar o processo regulatório em prol dos seus objetivos de expansão comercial. Apesar da sua relevância, poucos trabalhos se dedicam a analisar suas características e atuação nesse emergente mercado internacional. Tendo isso em conta, o objetivo geral desse projeto é compreender o processo de corporatização da cannabis internacionalmente e seu reflexo no contexto latino-americano. Os objetivos específicos do projeto são:- identificar os principais atores corporativos transnacionais desse novo mercado, suas características, funções e conexões.-compreender os meios pelos quais estes atores estão influenciando regionalmente o processo regulatório da cannabis e orientando a sua evolução.- Elucidar os impactos sociais causados pela captura dos mercados tradicionalmente clandestinos de cannabis, especialmente em comunidades pobres, rurais e historicamente marginalizadas.O foco da pesquisa será a evolução desse processo na América Latina, com destaque para Brasil, Colômbia, São Vicente e Granadinas e Jamaica. Com exceção do Brasil, escolhido pela sua relevância regional e pela importância de se contribuir para o debate sobre o tema no país sede da pesquisa, os demais têm regulações recentes que os tornam polos de atração das corporações transnacionais e hubs fundamentais no novo mercado. Para tal análise, utilizo como referencial o conceito de classe capitalista transnacional, baseado na noção de materialismo histórico das relações internacionais. Nossa hipótese é que o avanço das regulações da cannabis com uma orientação pró-lucro estimula a emergência de grandes corporações. Elas competem entre si no mercado, mas constroem um caminho comum de exploração capitalista nacional e transnacional que mina interesses advindos de atores da sociedade civil relacionados à justiça social e ambiental.Optamos por um desenho de pesquisa focado em uma abordagem qualitativa. Utilizaremos a metodologia do "rastreamento de processo" para identificar a evolução desses atores e como eles estruturam uma rede que opera o novo mercado de cannabis na América Latina. Esse método nos possibilita conhecer os aspectos básicos dos mecanismos de mudança social ao longo do tempo, fornecendo parâmetros para a investigação de um ou mais casos. A análise busca construir inferências causais que dialoguem criticamente com a literatura. Nossa expectativa é identificar os atores corporativos, suas conexões e sua relevância no novo mercado emergente da cannabis que articula interesses das elites econômicas dos países do Norte e Sul global.Este projeto está em diálogo com a iniciativa de criação de uma Global Network on Emerging Drug Markets, financianda pela Open Society Foundations em 2023, cujo um dos coordenadores é o proponente com outros dois pesquisadores estrangeiros, Kojo Koram (U. London) e Robert Chlala (UCLA). Ele também se articula com a Bolsa de Produtividade em Pesquisa CNPq obtida pelo proponenente em 2023. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o auxílio:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)