Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação de peptídeos e bioconjugados in vitro contra o vírus Chikungunya (CHIKV) e utilização de modelo murino para avaliação da eficácia e toxicidade dos compostos hit

Processo: 23/02956-6
Modalidade de apoio:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de maio de 2024 - 30 de abril de 2026
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Bioquímica - Bioquímica de Microorganismos
Pesquisador responsável:Paulo Ricardo da Silva Sanches
Beneficiário:Paulo Ricardo da Silva Sanches
Instituição Sede: Faculdade de Ciências Farmacêuticas (FCFAR). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Araraquara. Araraquara , SP, Brasil
Pesquisadores associados:Paula Rahal
Assunto(s):Desenvolvimento de fármacos  Peptídeos  Antivirais  Febre de Chikungunya  Infecção  Toxicidade  Vírus Chikungunya  Modelos animais 
Palavra(s)-Chave do Pesquisador:antivirais | Chikungunya | infeccao | Modelo Animal | Toxicidade | Virus | Desenvolvimento de Fármacos e Medicamentos

Resumo

O vírus Chikungunya (CHIKV) está entre as arboviroses de maior circulação autóctone no Brasil, juntamente com outros arbovírus como o Dengue (DENV) e Zika vírus (ZIKV). Mundialmente, as epidemias de CHIKV apresentaram um movimento cíclico, caracterizado por surtos remotos intercalados com períodos de silêncio epidemiológico, variando de anos a décadas. Segundo levantamentos atuais realizados pela Organização Mundial da Saúde, o CHIKV foi reportado em todo o mundo, incluindo a Índia, ilhas do Oceano Índico, sudeste da Ásia, Europa e Américas e sua progressão tem sido rápida e preocupante, principalmente em regiões de clima quente e úmido, propício para a propagação dos insetos vetores. A infecção leva ao início repentino de sintomas em pacientes como dor de cabeça, febre, dores musculares (mialgia), náusea, vômito e artralgia grave após um período de incubação de 2 a 4 dias. O uso de modelos animais, principalmente camundongos, em estudos de infecção com vírus, é amplamente utilizado, pois esses animais apresentam similaridade com seres humanos, incluindo semelhanças genéticas, fisiológicas e imunológicas. Além disso, por serem animais de laboratório bem caracterizados, com uma ampla gama de ferramentas disponíveis de manipulação genética, permite a criação de linhagens transgênicas ou Knockout, facilitando o estudo e os processos de infecção viral. Assim, esse projeto tem como objetivo avaliar o potencial antiviral de peptídeos e bioconjugados sintéticos em testes in vitro e in vivo para a avaliação da eficácia e toxicidade desses compostos contra o CHIKV. Para os ensaios in vitro será utilizada uma construção de vírus completo baseado no isolado de Chikungunya LR2006OPY1 (East/Central/South African genotype) sob um promotor CMV, contendo o gene reporter para a proteína nanoluciferase (nLuc) na região da proteína Nsp3. Os compostos mais promissores nos ensaios in vitro terão sua eficácia e toxicidade avaliados em modelo murino, utilizando camundongos knockout AG129 infectados com a linhagem CHIKV-LR. Espera-se que este projeto identifique compostos promissores para o tratamento de infecções por Chikungunya e forneça informações cruciais sobre a eficácia e toxicidade em um modelo animal relevante. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o auxílio:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)