Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudo de nodulos displasicos em figados cirroticos: avaliacao de dna ploidia da expressao de marcadores de proliferacao celular e alfa fetoproteina.

Resumo

A cirrose hepática é uma condição favorável ao desenvolvimento de carcinoma hepatocelular, principalmente quando de etiologia viral pelo VHC e VHB, e em algumas doenças metabólicas como a tirosinemia e hemocromatose primária, uma vez que casuísticas em diferentes regiões do mundo, principalmente no Oriente, mostram uma maior incidência de carcinoma hepatocelular em fígados cirróticos. O desenvolvimento dos métodos diagnósticos de imagem têm possibilitado a detecção de lesões precoces, bem como o estudo de lesões de aspecto boderline, talvez pré-neoplásicas. Da mesma forma os transplantes hepáticos, nos quais fígados inteiros são extensivamente estudados, têm possibilitado o achado de lesões muito pequenas. As alterações displásicas precedem em muitos órgãos o aparecimento de neoplasia. Histologicamente são descritos dois tipos clássicos de displasia hepatocelular: o de grandes células e o de pequenas células, havendo em ambos os tipos associação com o desenvolvimento de neoplasia, ainda que o tipo de associação seja motivo de controversa. Partindo da idéia de que na cirrose realmente existe um processo regenerativo alterado, não fisiológico, que pode levar a alterações da cinética celular eventualmente pré-neoplásicas, este trabalho tem como objetivo estudar o comportamento de nódulos cirróticos considerados displásicos sob o ponto de vista citológico e/ou estrutural, e dos carcinomas hepatocelulares, através da análise de DNA ploidia, pelos métodos de citometria de fluxo e análise de imagem, de marcadores imunohistoquímicos de proliferação celular e alfa feto proteína. A casuística é composta por 25 casos de cirrose de diferentes etiologias ( VHC(7), VHB (6), VHC + álcool (3), VHB + álcool (1), tirosinemia hereditária (2), criptogênica (2), autoimune (1), doença de Wilson (1), álcool isolado (1), sendo 22 hepatectomias totais, 1 parcial, 1 necrópsia, 1 cunha, 10 deles apresentando CHC dos quais 5 precoces. O grupo controle é formado por 5 cunhas de fígados normais utilizados para transplante. Os resultados serão submetidos a análise estatística comparando-se os resultados dos diferentes métodos nos diferentes padrões de lesões estudadas. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o auxílio:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)