Busca avançada
Ano de início
Entree

A função da trealose no estresse celular

Processo: 96/01405-7
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Temático
Vigência: 01 de outubro de 1996 - 31 de maio de 2001
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Bioquímica - Bioquímica de Microorganismos
Pesquisador responsável:Pedro Soares de Araujo
Beneficiário:Pedro Soares de Araujo
Instituição-sede: Instituto de Química (IQ). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Auxílios(s) vinculado(s):97/14636-0 - Boris juan Carlos ugarte stambuk | Univ federal santa catarina/ufsc - Brasil, AV.BR
Assunto(s):Leveduras  Saccharomyces cerevisiae  Regulação da expressão gênica  Expressão gênica  Clonagem  Trealose  Transporte através da membrana  Membrana plasmática 

Resumo

Este projeto visa estudar a mobilização de trealose em células de Saccharomyces cerevisiae, caracterizar a permease que transporta trealose na membrana plasmática destas células e clonar e expressar o gene do transportador de trealose. A mobilização da trealose em leveduras será estudada estabelecendo o perfil das proteína fosfatases presentes em Saccharomyces, com especial interesse naquela que promove a defosforilação da trealase. A trealase citoplasmática está envolvida na degradação da trealose e é regulada por fosforilação. O segundo enfoque será a separação das atividades de síntese de trealose ADPG e UDPG-dependentes e a purificação da atividade trealose sintase ADPG-dependente a partir de cepas deletadas no complexo da trealose sintase UDPG-dependente. O transportador de trealose tem sua expressão regulada pelo gene regulador de um locus MAL. Foi construida uma cepa que contem o gene regulador do locus MAL1 e o gene AGT1, que codifica para um transportador putativo de trealose. A partir de preparações de membrana plasmática destas células foi isolada um proteína que corresponde ao produto de expressào do gene AGT1 e que será caracterizada na sua sequencia de aminoácidos e na funcionalidade como transportadora de trealose em vesiculas de fosfolipidios. A clonagem e a expressão deste transportador permitiriam analisar o fenótipos conferido em cepas especificamente deletadas nestes genes. Ao mesmo tempo seria possível controlar a atividade de transporte com promotores heterólogos, o que permitiria a síntese de quantidades consideráveis da proteína, o que é fundamental para caracterização da estrutura. (AU)