Busca avançada
Ano de início
Entree

Produtos naturais facilitadores da transmissão colinérgica sem atividade anticolinesterásica e antagonistas nicotínicos com atividade não competitiva. Estudo farmacológico funcional correlacionado a (...)

Processo: 01/11274-7
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Temático
Vigência: 01 de dezembro de 2002 - 29 de fevereiro de 2008
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Farmacologia - Farmacologia Bioquímica e Molecular
Pesquisador responsável:Antonio José Lapa
Beneficiário:Antonio José Lapa
Instituição-sede: Escola Paulista de Medicina (EPM). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus São Paulo. São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Modelagem molecular  Produtos naturais  Plantas medicinais  Eletrofisiologia  Junção neuromuscular  Colinérgicos  Procainamida 

Resumo

Este projeto integra o trabalho de farmacologistas, químicos e agrônomos no estudo de 5 compostos naturais selecionados de experiências anteriores por seus efeitos facilitadores, ou inibidores, das funções colinérgicas nicotínicas. Quatro análogos sintéticos da procainamida obtidos de um estudo QSAR, com elevada atividade antinicotínica, também fazem parte do estudo. As atividades dos compostos foram preliminarmente estudadas na junção neuromuscular de músculos esqueléticos de mamíferos. Destas experiências foram obtidas evidências de interação não-clássica dos compostos com colinoceptores nicotínicos. No caso dos compostos de origem natural, o efeito foi associado com a facilitação da transmissão sináptica, ou com a reversão do bloqueio nicotínico competitivo. No entanto, estes compostos não apresentaram atividade anticolinesterásica in vivo ou in vitro. Para o estudo farmacológico foram escolhidos modelos experimentais adequados para estudar: 1) a interação molecular dos compostos com receptores e canais iônicos; 2) os mecanismos celulares das ações facilitadoras ou inibidoras da atividade celular; e 3) a ação no comportamento animal e nas funções vitais de ratos e cães, anestesiados ou não. Neste estudo serão utilizadas técnicas de ligação de radioligantes, registro de correntes em canais unitários da membrana, registro da liberação quantal de ACh e noradrenalina, dosagem de monoaminas e aminoácidos neurotransmissores com técnica de HPLC, influxo e mobilização de ions Ca2+ com técnicas fluorescentes, estudos comportamentais correlacionados com a secreção de neurotransmissores. Os estudos consideram a complexidade crescente de 3 tipos de sinapses colinérgicas: 1) a junção neuromuscular na qual os subtipos de receptores nicotínicos (nAChR) pós-juncionais são em pequeno número e onde a ACh é o neurotransmissor e principal modulador da neurosecreção; 2) a sinapse neuronal periférica, representada pelo modelo da célula PC12 em cultura, na qual os subtipos de nAChR são em maior número que no neurônio motor (majoritariamente a7 e a3ß4) e onde o processo de excitação-neurosecreção pode ser modulado fisiologicamente por auto-receptores e neurotransmissores (catecolaminas) 3) a sinapse neuroneural central, representada pelas células hipocampais em cultura, onde os subtipos de nAChR são em grande número (majoritariamente a 7 e a 4ß2), múltiplos transmissores excitatórios interagem (ACh, colina e glutamato) e a excitabilidade neuronal pode ser modulada por múltiplos neurotrasmissores (GABA, catecolaminas, serotonina). Tendo em vista que as ações dos neurotransmissores excitatórios e inibitórios são integradas no corpo neuronal, mas que o efeito resultante manifesta-se na função da estrutura inervada, propõe-se estudar a modulação produzida pelos compostos 1) na contração muscular esquelética; 2) na secreção de catecolaminas pelas células PC12; e 3) no comportamento animal em modelo sujeito à modulação hipocampal, correlacionando o efeito com a concentração de neurotransmissores no microdialisado do hipocampo. (AU)