Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudos sobre carrapatos: sua interacao com espiroquetideos e sua atuacao como agente promotor de toxicose.

Processo: 97/04090-0
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de setembro de 1997 - 31 de dezembro de 1999
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Medicina Veterinária - Medicina Veterinária Preventiva
Pesquisador responsável:Teresinha Tizu Sato Schumaker
Beneficiário:Teresinha Tizu Sato Schumaker
Instituição-sede: Instituto de Ciências Biomédicas (ICB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Epidemiologia  Carrapatos 

Resumo

No Subprojeto 1 "Estudos sobre aspectos da interação carrapatos e espiroquetídeos", pretendemos capturar e identificar roedores e marsupiais bem como seus ectoparasitos, de uma mata situada em Cotia/SP, considerada endêmica para a doença de Lyme. Nossos estudos anteriores, nesta região, permitiram a visualização de espiroquetídeos em algumas culturas de espécimes biológicos em meio BSK, usualmente empregado para cultivo de borrélias. Neste subprojeto, cultivaremos materiais extraídos tanto de reservatórios silvestres quanto de carrapatos, objetivando a obtenção de um maior número de culturas positivas. Estas serão examinas em microscópio de campo escuro e, as positivas, serão submetidas a testes PCR ("polimerize chain reaction"), para o diagnóstico genérico. Adicionalmente, realizaremos ELISA de captura de antígenos de borrélias em culturas de carrapatos e nos soros de gambás e roedores, visando a confirmação indireta da cadeia zoonótica em estudo. Em laboratório, estudaremos a capacidade de infecção de Ixodes lorícatus, Amblyomma cajennense e Omithodoros (Alectorobius) talaje por Borrelia burgdorferí. A capacidade transmissão da borrelia, por estes carrapatos, será testada em animais experimentais, acompanhando-se a sorologia e espiroquetemia nos hospedeiros. Testaremos, também, a competência vetorial de L lorícatus para espiroquetídeos obtidos de culturas de carrapatos em estudos anteriores. No Subprojeto 2 "Estudos sobre a atividade tóxica de larvas de Omithodoros (Alectorobius) talaje". Nossas investigações anteriores demonstraram que larvas de Omithodoros (A.) talaje (Santa Maria/MG) é capaz de promover anafilaxia aguda em camundongos isogênicos CBA/J, conduzindo-os à morte no quarto dia pós infestação. Investigaremos, neste subprojeto, a participação das aminas biogênicas, histamina e serotonina, como mediadoras do processo anafilático, através da ação de drogas. Desenvolveremos um programa de sensibilização desses roedores, acompanhado por estudos histopatológicos, visando à produção do choque anafilático imediato, através de infestações experimentais ou por injeções de extratos de larvas. Estudaremos a atividade tóxica dessas larvas sobre outras espécies de hospedeiros bem como a toxicidade de outra cepa de carrapatos (Alfenas/MG). Esperamos possibilitar futuras pesquisas sobre as caracterização bioquímica da toxina e oferecer um modelo para estudos sobre anafilaxia causada por artrópodes. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o auxílio:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)