Busca avançada
Ano de início
Entree

Programa emergencial das pontes de madeira para o estado de São Paulo

Processo: 99/12583-1
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Temático
Vigência: 01 de novembro de 2001 - 31 de agosto de 2006
Área do conhecimento:Engenharias - Engenharia Civil - Estruturas
Pesquisador responsável:Carlito Calil Junior
Beneficiário:Carlito Calil Junior
Instituição-sede: Escola de Engenharia de São Carlos (EESC). Universidade de São Paulo (USP). São Carlos , SP, Brasil
Bolsa(s) vinculada(s):04/09513-1 - Análise da performance dinâmica de conectores formados por barras de aço coladas para tabuleiros mistos de madeira roliça e concreto para pontes, BP.DR
04/10056-4 - Tratamento preservante de madeira a base de produtos naturais, BP.PD
03/11735-0 - Pontes de madeira em placas protendidas transversalmente com vigas em seção celular, BP.DR
+ mais bolsas vinculadas 03/07359-2 - Passarelas com peças roliças de madeira de reflorestamento, BP.IC
02/04825-0 - Pontes protendidas de Eucalyptus spp., BP.MS
02/02862-5 - Determinação de índices de confiabilidade de pontes de madeira pelo Método dos Estados Limites, BP.PD
01/14469-3 - Utilização de madeira compensada em superestruturas de pontes de pequenos vãos e passarelas de pedestres, BP.PD - menos bolsas vinculadas
Assunto(s):Estruturas de madeira  Sistemas e processos construtivos  Pontes de madeira 

Resumo

A maioria das pontes de madeira no Brasil não é projetada e construída por técnicos e construtores especializados em madeiras. Isto resulta em estruturas caras, inseguras e de baixa durabilidade. O estado atual de degradação destas pontes reflete um quadro negativo no uso da madeira como um material estrutural. Constata-se assim a urgente necessidade de se implantar nas estradas municipais e estaduais os avanços tecnológicos atuais para a construção e recuperação das pontes de madeira, Considerando que o sistema rodoviário estadual conta com cerca de 220.000 km de estradas vicinais, e estimando-se a existência de 0.5 % de pontes, tem-se 2.200 km de pontes. Estimando-se também o vão médio das pontes em 10 metros, tem-se 111.000 pontes. Recente pesquisa realizada pelo LaMEM em várias prefeituras do estado mostra de mil pontes e passarelas de madeira construídas 30% precisam ser refeitas ou reformadas. No estado de São Paulo não existem espécies de madeira tropicais. 0 uso estrutural da madeira de reflorestamento como uma alternativa as espécies tropicais é uma solução natural. Dos reflorestamentos atuais existentes, os pinus, os pinhos e os eucaliptos são os mais importantes para a construção civil. As peças estruturais são normalmente utilizadas roliças ou serradas com tratamento preservativo. Atualmente existe uma grande disponibilidade destas espécies no estado. Nestas condições o desenvolvimento de novas tecnologias para a construção de pontes de madeira, avaliação e aprimoramento das tecnologias já existentes; e adaptação das tecnologias atualmente em desenvolvimento no exterior para as condições nacionais, são aqui apresentadas com o intuito de alcançar a tecnologia para a construção de pontes seguras em madeira, seguindo técnicas construtivas simples e modernas, com durabilidade compatível com a de outros materiais estruturais e a um custo altamente competitivo. Como objetivo final prevê-se a ampla divulgação dos sistemas construtivos e estruturais através de cursos de extensão e publicações em revistas e congressos nacionais e internacionais. (AU)