Busca avançada
Ano de início
Entree

O ensaio das criptas aberrantes como biomarcador da oncogenese do colon em modelo de carcinogenese pela dimetilhidrazina do rato.

Processo: 98/00706-9
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de maio de 1998 - 30 de abril de 2000
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Anatomia Patológica e Patologia Clínica
Pesquisador responsável:Maria Aparecida Marchesan Rodrigues Kobayasi
Beneficiário:Maria Aparecida Marchesan Rodrigues Kobayasi
Instituição-sede: Faculdade de Medicina (FMB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Assunto(s):Cólon  Biomarcadores 

Resumo

Criptas aberrantes isoladas ou em focos (FCAs) são encontradas na mucosa do colon de roedores tratados com cancerígenos químicos específicos. Há controvérsias sobre se os FCAs representam lesões pré-neoplásicas, podendo ser úteis como marcadores biológicos da oncogênese do colon. O presente estudo visa investigar em modelo de carcinogênese do colon pela Dimetilhidrazina (DMH) no rato a possível correlação entre a incidência de FCAs e de carcinomas na mucosa do colon. Serão utilizados ratos machos Wistar, com peso médio de 250g, distribuídos em quatro grupos, constituídos por 10 animais cada. Dois grupos receberão dimetilhidrazina, 40 mg/kg, por via subcutânea, em 4 doses, nas duas primeiras semanas do experimento. Os dois grupos controles receberão injeções similares de solução salina. Um grupo tratado com DMH e um controle serão sacrificados na quarta semana do experimento. Os demais grupos serão sacrificados na 30ª semana com pentobarbital sódico ip. O colon será dividido em três segmentos, proximal, médios e distais, que serão corados com azul de toluidina a 0,1% e examinados estereoscopicamente. Serão analisados a incidência, distribuição e tamanho dos FCAs, bem como dos carcinomas. Cortes histológicos seriados serão processados para análise comparativa dos FCAs e carcinomas identificados na mucosa do colon. (AU)