Busca avançada
Ano de início
Entree

Dispersor de alimento para larvicultura e alevinagem de pacu e matrinxã

Processo: 99/07043-8
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Parceria para Inovação Tecnológica - PITE
Vigência: 01 de março de 2000 - 31 de maio de 2001
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Recursos Pesqueiros e Engenharia de Pesca - Aquicultura
Pesquisador responsável:Gilson Luiz Volpato
Beneficiário:Gilson Luiz Volpato
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IBB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Empresa: Fish-Braz Comércio, Importação e Exportação Ltda
Município: Botucatu
Assunto(s):Piscicultura  Larva  Peixes  Pacu 

Resumo

Este projeto procurou solucionar um problema importante na piscicultura: como distribuir adequadamente a ração na alimentação para as larvas. Os métodos atuais são precários, promovendo muita mortalidade, alta competição por alimento (que leva a grandes diferenças de crescimento entre os indivíduos), baixo crescimento e desperdício de ração. A proposta consistiu na introdução de um aparelho que faria uma dispersão mais adequada da ração nos tanques de piscicultura. Ele não requer eletricidade, sendo movido por força manual, com a dispersão se dando por força hidráulica advinda do próprio movimento, nem experiência para sua utilização. O projeto buscou testar a eficiência desse aparelho, cujo protótipo já foi por nós construído para duas espécies de peixe: pacu (Oreochromis niloticus) e matrinxã (Brycon cephalus). Ambas de valor comercial indiscutível na piscicultura brasileira. A primeira espécie tem hábito gregário, formando cardumes. A segunda é mais agressiva, com alta taxa de canibalismo, sendo, portanto, animais que representam as duas principais possibilidades de hábito social. As larvas foram introduzidas nos respectivos tanques e o tamanho, avaliado após 30 e 45 dias, sendo a quantidade de ração e o horário de alimentação fixos entre os tratamentos. No final do experimento, a sobrevivência foi também avaliada. (AU)